sábado, 25 de março de 2017

E quando o nascimento dos filhos nos proporciona uma certa mudança de identidade

Vivi 32 anos com o mesmo nome...vá, 2 ou 3. Para a minha mãe um, com a variante primeiro e segundo quando o caldo entornava, mais o "Carocha" adoptado pela minha madrinha e o Tanoka(s), adoptado pela maioria e que por vezes ainda hoje oiço por aí perdido.

Mas o facto é que desde aquele dia 04 de Julho de 2010 passei a ser a Mãe (para a Pediatra, para a Enfermeira, para as Educadoras, Auxiliares, Professores, Instrutores de Natação, etc., etc.) e o mais completo Mãe da Ana Rita para a pequenada.

Estar num sítio público, sem ela, e ouvir ao longe: "Olá Mãe da Ana Rita!" é uma delícia.

A minha identidade até então que se cuide e sabe muito bem.

1 comentário:

Anouk disse...

Post mais fofinho. :3