quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Acerca de pessoas ordinárias

Estava eu esta manhã em plena fila de trânsito ns 2ª Circular, parada, bom, literalmente parada, com o motor parado e o carro travado, um troço em que mesmo se o carro não estivesse travado não tinha tendência para avançar, antes sim, recuar.

Tenho uma criatura à minha frente, ainda não vou começar a destratá-la, pois até aqui não tive razões de queixa. Eis se não quando começo a ver o carro da tipa a descair, e a descair, e a descair, e nisto, olho pelo retrovisor e não tinha eu própria espaço para descair, ao mesmo tempo que lhe buzino - enfim, o que qualquer pessoa faria no meu lugar.

A tipa, olha para trás, o carro descai mais um milímetros e bate no meu! Como se já não bastasse ainda gesticula e chama-me maluca; não sai do carro, arranca assim que o pá-arranca o permite e pronto.

Bem, uma ordinarice destas nunca me tinha acontecido; será que a ordinária da mulher não percebeu que o carro dela estava a descair???

Portanto, eu levo com um carro em cima do meu carro, que ainda por cima é novo, e sou insultada de maluca.

Foi um começo de manhã atribulado, obviamente que àquela velocidade não causou danos, mas podia ter causado. E são estas pessoas que andam por aí a circular. Portanto se virem uma gaja num BMW preto, com as letras NI no meio da matrícula, cabelo pelo pescoço, óculos e cara de estúpida, tenham cuidado, porque além de ordinária, deve ser vesga.

....e depois admiram-se que às vezes uma pessoa mais louca saia do carro e parta para a ignorância. Neste caso era mais do que merecido.

Sem comentários: