terça-feira, 26 de abril de 2016

E lá vai ela para o 1º Ano...

Há precisamente 6 anos atrás, estava eu grávida de 31 semanas e aconteceu algo que jamais imaginei que pudesse ocorrer; olho para trás e ainda não compreendo como é que um ser humano é capaz de actos tão desumanos, reprováveis e sem classificação - comportamentos que não testemunhamos no reino dos animais ditos irracionais.

Certo é que se diz que os animais irracionais agem por instinto, mas de facto quando é o Homem a agir por instinto, infelizmente tais acções são bastante reprováveis, intoleráveis e denotam grande falta de carácter e grandeza.

E desde aí, superei-me - naqueles momentos há 6 anos atrás e com uma barriga de 31 semanas, 32 e, por aí fora, não julguei ser capaz de ir muito além. Mas o tempo passou, cheguei às 40 semanas, às 40 semanas e, mais 4 dias depois, nasceu uma menina saudável que me agarrou à vida, quanto mais não seja porque a minha demanda passou a ser o que podia fazer por ela e o legado moral que lhe podia deixar.

Foi duro passar por tudo sozinha, ainda o é, há momentos fantásticos, há momentos de luta, há momentos em que fraquejo, mas passados 6 anos eu vejo uma criança feliz - superei-me, sim, conseguir transmitir a uma criança a segurança e a felicidade que não sentimos, é obra.

Hoje, e até parecendo que desde as 31 semanas de gravidez, passou o mesmo tempo de ir ali dormir uma sesta e voltar, fui matriculá-la no 1º Ano do Ensino Básico. A minha filha vai iniciar o seu percurso académico, que espero seja brilhante, e aqui estou eu para continuar a fazer de tudo para a amparar nos sucessos e nos fracassos, porque esses também fazem parte da nossa história - sinto alegria, sinto nostalgia, bolas, o sofrimento e a dor deixam marcas incalculáveis, mas sinto-me feliz por apesar de tudo, continuar a ser capaz e o que mais desejo é que, após o fim da minha linha, ela me recorde como uma mãe porreira, que apesar de todos os defeitos e falhas e também dificuldades fez o melhor que pôde e, acima de tudo, nunca deixou de a amar com todas as forças.

Sem comentários: