terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Lá vou eu ferir susceptibilidades...e atacar o Pai Natal!

Mas continuo na minha de que o Pai Natal é um "canastrão". O Pai Natal da Coca-Cola era um fofinho, a imagem do Sr. de barbas com a fábrica de brinquedos é enternecedora, ir levar os presentes aos nossos meninos e colocá-los no sapatinho que ficou previamente junto à lareira...ok, é tudo muito giro.

Mas nós é que compramos os presentes e o Sr. em causa é quem fica com os louros.

Lá em casa sou muito clara - não posso fugir à magia do Pai Natal, embora entre-dentes o continue a achar meio canastrão, mas o dito não dá os presentes aos meninos, não cultivo essa mentira, de todo.

Já vi a desilusão espelhada nos rostos de muitas crianças amigas quanto percebem que tudo não passa de um embuste e confesso que acho completamente desnecessário.

Não vou ao cúmulo de dizer que o Sr. não existe, até porque ele existe, mas com as suas nuances, agora que não é ele o grande mentor do Natal lá em casa, isso não é certamente.

É mais uma figura fofinha que tem um presentinho reservado, sobretudo explicar-lhe que nem sempre tem tempo para ir visitar todos os meninos, mas o grande objectivo do Natal não é de todo a espera incessante pelo senhor do fato encarnado.

Sem comentários: