terça-feira, 11 de janeiro de 2011

Gracinhas diárias

E porque tristezas não pagam dívidas e há mais em que pensar do que nas ordinarices da "sumidade maneta on the house", realmente não há nada melhor do que absorver as gracinhas diárias com que as nossas crianças nos presenteiam.

Que a minha filhota me conhece à légua, não há qualquer dúvida, desde a voz, ao cheiro...sabe bem quem é a sua mamã.

Apesar de ser uma bébé extremamente sociável, que gosta muito de miminhos e colinho, travessuras e brincadeiras, quando a mamã chega é uma festa e não há nada que a demova do horário que estabelecemos para as brincadeiras, leia-se, antes do banhinho que antecede a hora do jantar.

Por muito cansativo que tenha sido o dia, por muito soninho que tenha, absorve-me aquele tempinho que impõe e com toda a razão e a minha alegria para os nossos amores de mãe e filha.

Ri à gargalhada, aperta-me as bochechas, dá beijinhos à esquimó e "fala-me" do seu dia...e eu derretida e embevecida a olhar para ela e a pensar que apesar da adversidade, dos riscos que corri no final da gravidez e do próprio parto de risco que pôs em causa a vida de ambas....o meu prémio tinha que ser de facto esta perfeição, este ser pequenino que tantas alegrias nos dá.

Pois que recentemente descobriu que para além de umas mãozinhas com dedos longos e brincalhões, tem também uns pézitos que chegam à boca e é vê-la a mordiscar os próprios pés e olhar para mim como quem diz..."eh, eh, eh....isto é giro!".

Nas aulas de natação é vê-la a correr, perdão, a nadar atrás dos bonequinhos que a professora atira para o meio da piscina para os apanhar; é vê-la com o seu ar aristocrata no seu habitat, como se nunca tivesse feito outra coisa na sua curta vida que não fosse estar em meio aquático...olha para tudo muito tranquila, com muita vontade de fazer novos exercícios e naquele momento só nosso rimo-nos e amamo-nos e tiramos partido de uma interacção fabulosa, do toque das nossas peles e muitos miminhos à mistura.

Entenda-se que a vida da bébé não é pautada apenas por mimos e brincadeiras e apesar da sua pequenez já tem impostas algumas rotinas, desde a hora do banho, da alimentação, das horas lúdicas e até da hora do soninho. Se queremos uma criança regrada e com uma noção clara da realidade, há que manter da nossa parte um modo de vida o mais equilibrado possível, para que sintam desde pequenos que nas 24 horas que o dia tem, terá que haver tempo para tudo.

É extraordinariamente fascinante a minha pequena.

Sem comentários: