Avançar para o conteúdo principal

Efeméride - José Saramago





Soubemos há pouco que "desapareceu" José Saramago.
Sem dúvida um vulto de reconhecidos créditos no âmbito cultural dos nossos tempos, embora confesse que a sua escrita não era de todo do meu agrado nem tão pouco alguma da sua atitude.

Mas quer queiramos quer não, a nossa cultura ficou sem dúvida muito mais pobre.
Talvez não simpatizasse muito com a figura porque pessoalmente me irritava um pouco aquele ar altivo e arrogante, mas também o sabemos que foi uma personalidade muito marcada por algumas injustiças do nosso regime, que inclusivamente renunciou a habitar no seu país por questões ideológicas e políticas...portanto é natural que se fique com uma aparência falsa de arrogante e conhecendo por vezes as pessoas todas essas questões se dissipem.

Quanto à sua escrita não é dos meus autores de "mesa de cabeceira" embora conheça algum do seu espólio, nomeadamente O Memorial do Convento, O Ano da Morte de Ricardo Reis, alguns dos Cadernos de Lanzarote, A Jangada de Pedra e para mim a sua obra maior O Ensaio Sobre a Cegueira, esse sim considerei um livro excelente.
De uma forma tão crua consegue extrapolar naquelas linhas que de facto "o maior cego é aquele que não quer ver" e aí foi magistral.

Não fui daquelas pessoas que tenha recebido com grande entusiasmo a atribuição do Prémio Nobel da Literatura, pois nunca fui grande adepta da sua obra, e ao pé de Jean Paul Sartre, Ernest Hemingway ou Gunter Grass sempre o coloquei numa posição um pouco abaixo, mas reforço que não deixa de ser um grande escritor, português e que goste-se ou não da sua obra, é um vulto importantíssimo dos nossos tempos.

A nossa cultura ficou hoje mais pobre.

Comentários

Unknown disse…
Ainda vais ser muito feliz e eu tambem a pessoa que eu amava tambem esta com outra e ela esta gravida imagina o que eu não sofri quando soube mas sabes uma coisa quando a vi pela primeira vez soube logo que já o tinha perdido para ela mas deixa lá tu e a tua linda filhinha ainda vão ser muito felizes e eu também.

Mensagens populares deste blogue

"Quem me Leva os Meus Fantasmas"

Tive oportunidade de ver há dias uma entrevista com o Pedro Abrunhosa (músico de que gosto bastante pela sua atitude e mensagens que passa) em que ele dizia que as suas músicas/letras são o reflexo das suas catarses, de situações que o perturbam, ou que lhe agradam e que ele tem que extrapolar para o exterior. Achei engraçada a analogia, pois com o sentido de humor que lhe é característico refere que é uma maneira de não perder tempo e dinheiro a ir ao Psiquiatra, entretém as pessoas e ainda lhe pagam para isso. O filósodo Lou Marinoff, brilhante também, como forma de evitarmos a cadeira do analista propõe-nos "Mais Platão, Menos Prozac". Concordo com ambos. E aqui deixo uma letra fabulosa de Pedro Abrunhosa, que transmite muitas das certezas e incertezas da minha existência, e foi também a seu tempo a banda sonora de eleição de uma anterior relação por mim vivida. Quem Me Leva os Meus Fantasmas "Aquele era o tempo Em que as mãos se fechavam E nas noites brilhantes