sexta-feira, 18 de junho de 2010

Efeméride - José Saramago





Soubemos há pouco que "desapareceu" José Saramago.
Sem dúvida um vulto de reconhecidos créditos no âmbito cultural dos nossos tempos, embora confesse que a sua escrita não era de todo do meu agrado nem tão pouco alguma da sua atitude.

Mas quer queiramos quer não, a nossa cultura ficou sem dúvida muito mais pobre.
Talvez não simpatizasse muito com a figura porque pessoalmente me irritava um pouco aquele ar altivo e arrogante, mas também o sabemos que foi uma personalidade muito marcada por algumas injustiças do nosso regime, que inclusivamente renunciou a habitar no seu país por questões ideológicas e políticas...portanto é natural que se fique com uma aparência falsa de arrogante e conhecendo por vezes as pessoas todas essas questões se dissipem.

Quanto à sua escrita não é dos meus autores de "mesa de cabeceira" embora conheça algum do seu espólio, nomeadamente O Memorial do Convento, O Ano da Morte de Ricardo Reis, alguns dos Cadernos de Lanzarote, A Jangada de Pedra e para mim a sua obra maior O Ensaio Sobre a Cegueira, esse sim considerei um livro excelente.
De uma forma tão crua consegue extrapolar naquelas linhas que de facto "o maior cego é aquele que não quer ver" e aí foi magistral.

Não fui daquelas pessoas que tenha recebido com grande entusiasmo a atribuição do Prémio Nobel da Literatura, pois nunca fui grande adepta da sua obra, e ao pé de Jean Paul Sartre, Ernest Hemingway ou Gunter Grass sempre o coloquei numa posição um pouco abaixo, mas reforço que não deixa de ser um grande escritor, português e que goste-se ou não da sua obra, é um vulto importantíssimo dos nossos tempos.

A nossa cultura ficou hoje mais pobre.

1 comentário:

Unknown disse...

Ainda vais ser muito feliz e eu tambem a pessoa que eu amava tambem esta com outra e ela esta gravida imagina o que eu não sofri quando soube mas sabes uma coisa quando a vi pela primeira vez soube logo que já o tinha perdido para ela mas deixa lá tu e a tua linda filhinha ainda vão ser muito felizes e eu também.