Avançar para o conteúdo principal

"Quando a cabeça não tem juízo..."

"E tu te esforças mais do que é preciso, o corpo é que paga!"

E hoje, sinto-me literalmente assim. Todos os anos faço uma jura em como no ano seguinte vou tirar a segunda-feira dos Óscares de férias, porque gosto de ver aquilo e depois no dia a seguir é que são elas. Obviamente que não tiro, não vou desperdiçar 1 dia por isso, porque o compacto não presta, and so on, and so on.

A verdade é que às 3 da madrugada ainda estava eu a ver aquilo e porquê!? Sobretudo à espera do Bradley Cooper que é assim um Deus Grego do Olimpo, lindo, e sexy e tudo e tudo e tudo. E a imaginar-me no lugar da Lady Gaga, e da Irina e delas todas, porque um monumento daqueles não se vê todos os dias e a constatar que de facto existem mulheres de sorte, a Irina é uma delas e não é pelo facto de ter namorado uma série de anos com o CR - pode ser o melhor jogador do mundo, pode ser muito bom filho e irmão e muito generoso e podre de rico, mas charme, presença, dom da palavra e beleza não tem nada. Na verdade, não se pode ter tudo, mas é daquelas pessoas que nem que me cobrisse de platina, pois basta abrir a boca que...não faz de todo o género capaz de me fazer virar a cabeça.

Agora o Bradley Cooper, nossa Senhora. É que não lhe mudaria nada. E como tenho olhos na cara, acho mesmo que o casal Irina/Bradley fica bem um para o outro. São os dois lindos de morrer.

E eu, aqui estou a sentir um peso na cabeça enorme, mal disposta e a ter que dar formação - outra, não marcar uma formação para o dia a seguir aos Óscares. É que já não tenho 20 anos, isto já começa a pesar.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Quem me Leva os Meus Fantasmas"

Tive oportunidade de ver há dias uma entrevista com o Pedro Abrunhosa (músico de que gosto bastante pela sua atitude e mensagens que passa) em que ele dizia que as suas músicas/letras são o reflexo das suas catarses, de situações que o perturbam, ou que lhe agradam e que ele tem que extrapolar para o exterior. Achei engraçada a analogia, pois com o sentido de humor que lhe é característico refere que é uma maneira de não perder tempo e dinheiro a ir ao Psiquiatra, entretém as pessoas e ainda lhe pagam para isso. O filósodo Lou Marinoff, brilhante também, como forma de evitarmos a cadeira do analista propõe-nos "Mais Platão, Menos Prozac". Concordo com ambos. E aqui deixo uma letra fabulosa de Pedro Abrunhosa, que transmite muitas das certezas e incertezas da minha existência, e foi também a seu tempo a banda sonora de eleição de uma anterior relação por mim vivida. Quem Me Leva os Meus Fantasmas "Aquele era o tempo Em que as mãos se fechavam E nas noites brilhantes

Esta miúda que por sinal é minha filha...

 Estava eu a aspirar a casa e ela decidiu observar-me(nos). “Mãe, esse aspirador é do Rei dos Aspiradores. Não sabia que o aspirador de cá de casa era desses. Não devias dar dinheiro a esse homem mãe.” Nem comentei, nem tão pouco estou com presença de espírito para tentar perceber que cenas escabrosas a respeito do tal senhor que era o “manda-chuva” da Rainbow chegaram aos ouvidos da minha filha. Está a ser muita mudança para a minha cabeça. A miúda está mesmo a crescer...a galope e eu, começo a ficar para trás. Maldita idade...a minha! A dela, recomenda-se, mas de preferência com menos audácia e argúcia.