Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2022
 Verbalizei uma ou outra vez que não sabiam onde estavam com a cabeça quando puseram um Chicão à frente do CDS. Como é que um partido histórico cai nas mãos de  um fedelho alucinado. E percebia-se a alucinação em algumas tiradas completamente descontextualizadas e parvas, próprias de um jovem deslumbrado e pouco humilde. Eu antevi que ele iria arrasar o partido e houve sempre quem me dissesse que eu estava a exagerar. Aqui está…se alguém quiser aprender a arrasar um partido…basta olharem para o Chicão. E é por causa destes e doutros que um mal formado como o André Ventura, conseguiu nesta eleição elevar o seu movimento, partido, ou o raio que o parta, a terceira força política do país. …cá estou a divagar. Eu não sou politóloga. Ai!

E o grande vencedor é…

 António Costa. E é esta a conclusão mais resumida da noite.  Clinicamente falando, será uma noite de muita sintomatologia a tender para o refluxo gastroesofágico.  E mais não digo porque não sou nem Politóloga, nem Médica…sou antes como Sócrates, o Grego, apenas uma cidadã do mundo.

Sair à rua naqueles dias em que não se está muito feliz

 Dá nisto…passa-se a ver a vida com outros olhos! Raios que não os partam, porque são mesmo lindos! ….e agora é pão e água nos próximos meses.

Aquelas fraudes que enganam os mais distraídos

 Mas como eu sou muito atenta e não acredito em elfos, sorry , mas ainda não foi desta.

Fim do Primeiro, venha o Segundo

 Ainda a habituarmo-nos a esta nova divisão dos tempos lectivos, eis que hoje termina o primeiro semestre para rapidamente se iniciar o segundo na próxima segunda-feira. Até lá, seguem-se 3 dias de mini-férias para eles, reuniões intercalares para os professores, azáfama de atribuição de notas e logo, novos desafios, aprendizagens, estudo, a Primavera, o Verão, as férias e toda uma vida a seguir o seu curso, como se de um rio se tratasse. E ela, que está a passar uma fase arredia, hoje não sei como é que ela fez aquilo resolveu entrar na BIOS do laptop dela e eu não fazia a mínima ideia de como voltar ao sistema operativo, tendo resolvido o problema numa sucessão de tentativas e erros…tenho um profundo e imenso orgulho nela. É uma menina incrível. 

Sim, gosto de fotografar teias de aranha

 

Mais uma imunização, ou, vê lá se não te metes comigo "Covid"

 A primeira deste ano. Com satisfação por viver numa era em que as vacinas são uma realidade, acedo às mesmas com facilidade, não sou parva nem nego a eficácia das mesmas bem como o balanço positivo se tivermos que escolher entre o medo/incerteza ou a crença na Ciência. Ninguém cá fica, pois que eu saiba ainda não foi desenvolvida a solução que proporciona a vida eterna, mas se pudermos evitar estes bicharocos oportunistas, devemos fazê-lo. Eu faço, e o meu núcleo também. Não obstante ter passado algum mau bocado aquando da segunda inoculação, hoje fui com o mesmo espírito e caso haja mais alguma reacção adversa, será apenas mais uma experiência que passará a fazer parte da minha vida. Sobrevivi. Se a vacinação continuará, se passará a ter um reforço anual...acho sinceramente que ninguém o sabe, portanto resta-nos passar por estas fases com um espírito positivo, consciência, resiliência e acima de tudo...confiança na Ciência porque apenas ela neste momento nos dará as tão ansiadas resp

Apesar de tudo, eu…votei!

 Não que todo este circo montado tendo como base a crise política que já se vive há anos, mas que foi elevada ao máximo expoente pelo chumbo muito bem articulado do OE, me estimule a assistir de bancada e, pior do que isso a fazer parte dele. Não gosto de circo, nem de palhaços, nem de animais amestrados. Mas metaforicamente falando, montada a tenda, e sem ter dado um passo para assistir, o Sistema faz com que sejamos intervenientes…actores sociais reza a minha Ciência. E somos, foi-nos dado esse poder há umas boas décadas atrás e, se num ou outro acto eleitoral anterior vacilei, ao ponto de me sentir encurralada entre a fidelidade à minha ideologia (caramba, até em termos políticos eu sou fiel e, começo a perceber que aquilo que eu considero virtuoso nalguns/cada vez menos seres humanos, o ser fiel a si, aos seus princípios, à sua ideologia e ao outro, no meu caso transforma-se num crasso defeito) e para não deixar de o ser, socorrer-me do voto em branco, desta vez, e com o avançar de

Aquela mensagem que se recebe

 A informar que houve um caso positivo na turma e a descrição dos procedimentos a seguir. Algum dia tinha que acontecer e até fico espantada como só foi agora. Em suma, marcar testes, eu acabei por aproveitar o embalo e testei-me também, a minha filha quando vai assistir a pequenos ensaios clínicos ao meu corpo fica sempre espantada por eu me portar bem. "Oh mãe, mas tu nem te encolheste, nem torceste o nariz, nada. Quando levas uma vacina é igual. Não te custa?" Bom, entre o custar, o fazer impressão, o doer e o facto de eu não gostar jamais de fazer cenas tristes, resta-me a última hipótese. Por mais desconforto ou até dor, há que saber controlar, pois nunca sabemos o que de mau ainda nos reserva esta existência. Portanto zaragatoa no nariz, não dói, vacinas e análises ao sangue, não doem, arrancar um dente do siso semi-incluso que demorou 2 horas para sair e levar uma série de pontos, não dói, tirar sangue directamente da artéria dói horrores e é algo que não gostaria de r

Dicotomias

 Até aqui, ou até há cerca de 2 anos vá, a divulgação de boletins clínicos era algo da esfera mais privada, e levava-se a mal que circulasse que fulano A tinha cancro, fulano B Hepatite,  sicrano psoríase, etc. Agora ter Covid 19 é uma autêntica fogueira das vaidades e parece que “é bem” dizer que se está contaminado, com direito a fotos de testes antigenio, poses em pijama com olheiras, pedidos de sugestões para a quarentena. Há uns anos atrás estive de quarentena com a minha filha à conta da varicela, e por acaso não vejo partilhas a proliferar com fotografias daquelas úlceras com aquele líquido nojento a jorrar. Também não vejo publicações com fotografias de doses anormais de herpes labial, ou de lesões de kaposi tão comuns nos seropositivos. Muitas pessoas mantêm os seus processos oncológicos o mais privados possível e, quando os tornam mais públicos fazem-no com o intuito de transmitir força a quem passa pelo mesmo, como que a fortalecer uma corrente de energias positivas e criar

“Ergue-te?”

 Ando tão desactualizada que só agora, ao ver o Tempo de Antena é que me apercebi que o fascista do PNR, agora dá a cara pelo “Ergue-te”. Se Deus me tivesse dado força em vez de sensatez, eu sei o que ergueria para colocar estas criaturas no seu lugar.  …eram todos juntos numa ilha deserta e mais não digo.

She believes she can fly

 Or…she thinks she’s on the Titanic’s prow!

Será que foi dia de alguém desejado ter regressado lá para os lados do rio?

 Crescemos a ouvir, entre outras, a lenda de D. Sebastião, esse Rei adolescente e imberbe que, na gloriosa Batalha dos 3 Reis, para os lados de Alcácer-Quibir, muito fruto da sua pouca inteligência e inexistente conhecimento estratégico, deitou tudo a perder, e por lá se perdeu também. Há quem espere, passados séculos que, numa manhã de nevoeiro ele surja, ali para os lados do Cais do Sodré, vindo do Sul. Não sei quem virá, mas hoje pela manhã saí de casa e estava um sol radioso. Escassos quilómetros depois, quando me preparo para atravessar o rio, dá-se o fenómeno. O tempo mudou, escureceu, e vi-me envolta na bruma, não a de Avalon, mas talvez a minha. O meu pensamento levou-me longe e por momentos inundou-me uma esperança mística. A vista era esta, e passados poucos metros, o sol radioso regressou. Foi mágico. 

“Há lodo no cais”

 

Da série “eu nunca tive uns destes…mas gostaria”

 E é assim, isto não é para quem quer… Foi uma semana difícil para ela e acho que ainda mais para mim, porque quando tocam nos nossos filhos sentimos as dores a níveis não quantificáveis matematicamente. O Bullying. Essa grande ***** que tem lugar porque se observa uma grande quebra de valores, educação e regras básicas de convivência. E é bem pior viver na selva urbana. A minha filha infelizmente tem sido um alvo fácil. Mas enfim, temas complexos sobre os quais terei que actuar nos sítios certos e com os actores sociais certos. Não vale a pena ir pela metade. Do meu lado abraço-a fortemente, beijo-a sem fim, mimo-a, instigo-lhe confiança e…dou-lhe a medalha de ouro que ela tanto merece.  ….e eu que nunca tive uns destes. Ai… que inveja! Também quero!!!! Converse*All Star*The Golden ones 
 
 

Home Alone

 E hoje de manhã, lá foi o meu pintainho de volta à sua rotina. Já precisava ela e já precisava eu, mas agora...definho de saudades daquele desassossego que tanto me ilumina o simples facto de estar na presença dela. Caso sério de amor...

Programas culinários versus Entretenimento

 Começando pelo fim, longe vão os tempos de verdadeiro serviço público na televisão. Sabemos que as televisões privadas nunca proliferaram com esse objectivo…mas em parte deveriam.  Há que entreter, sim. Há diversos tipos de público. Também. Mas chegamos a um ponto em não se deveriam ultrapassar certos limites, como por exemplo os da falta de respeito, educação, cultura, etc. porque em última instância devemos sempre aprender algo, reter, e cada vez se retêm coisas mais básicas e inusitadas o que para pessoas intelectualmente mais desfavorecidas, não lhes acrescenta qualquer valor. Ora bem, concursos ligados à culinária, seja para revelar autênticos prodígios a cozinhar, restaurantes sujos e decadentes, criancinhas que cozinham muito melhor que muitos adultos…tudo serve. E depois temos alguns moderadores, apresentadores, cozinheiros e/ou chef’s que até são construtivos e temos também o Ljubomir.  Frequento quando calha o restaurante dele, gosto do conceito dele, ria-me imenso quando o

Novo ano, novas mortes

 Num corropio até chegar a nossa própria e aí, será o fim da linha também para nós. Obviamente que a minha, como comum mortal será estritamente privada mas existem aqueles que, pela sua profissão, pelo que deram de bom e de mau à sociedade, são notícia. E por norma, eleva-se a consternação. Hoje, partiu mais um dos que admirava e para o qual, quaisquer palavras que digamos para lhe enaltecer o talento e postura ao longo da vida, serão poucas. Até sempre Sidney Poitier - a sua obra perdurará em tantas interpretações fabulosas em que brilhou e nos brindou com a sua entrega, seriedade, sensibilidade. Este, foi um bom actor.
 …agora corre o boato que o Pedro Choy queria “curar” a homossexualidade utilizando técnicas da acupunctura. Bom, vamos lá tentar não ir a reboque de boatos e aguardar serenamente por novos desenvolvimentos de acordo com o princípio de presunção de inocência que vigora na nossa Constituição.  Mas a ser verdade, até fico petrificada com tamanha falta de senso vinda de um dos da geração de Tiananmen.  Em pleno século XXI, ideias destas são no mínimo trágicas.

As surpresas da minha filha

 A minha filha é a minha paixão de vida. Se existe o “grande amor de uma vida”, a minha filha ganha claramente o galardão. Posso estar irritada com ela, pode ter feito disparates, pode ter desobedecido e eu a ter apanhado a fazer algo que estava fora de questão… como hoje e que já me fez confiscar-lhe o telemóvel outra vez, ela confessar-me que me odeia…e estamos nisto. Com um ambiente um pouco turvo, mas vai passar, como passa sempre e depois, olho para ela, e percebo que ainda a amo um bocadinho mais, e concluir que existem escalas que nunca rebentam.  Há uns dias atrás surpreendeu-me. Sempre que faço anos, ou no Natal, ou quando lhe apetece, presenteia-me com trabalhos feitos por ela. Sejam desenhos, cartas, poemas…e são esses presentes que me tocam o coração. Mas eis que, 11 anos…já são um posto e ela, que provou não necessitar de parceiros no crime, decidiu inovar.  Eis que no dia dos meus anos acordou e correu até mim com um presente embrulhado. Capa dura, pensei num livro e que

Consumismo e os seus “prazeres”

 Lembro-me de ter passado por várias fases associadas ao consumo. A fase dos smarties e pintarolas, depois as colecções de cromos, folhas de cheiro, LP’s, depois os CD’s. Os livros sempre, desde que me lembro que existo e outras coisas mais ao longo desta vidinha. Nunca pensei entrar numa loja, perguntar se tem auto-testes Covid, dizerem que sim…e eu sorrir, como que se me estivessem a vender umas Levi’s 501 originais por 30€. A vida muda-nos. Ainda por cima, como qualquer raridade, estão caros. É um abuso. Mas eu…sorrio na mesma, porque não há como fugir ao facto de ser sensato manter alguns em casa, just in case.

Ao ler este pensamento, não pude deixar de sorrir

 Também já lá andei…mas depois…sobrevivi. Quem nunca!?

Não é bem ensino à distância, mas quase

 Acordou já passava das 11 da manhã e eu a pensar: que rica vida…mais para mim que, estando a trabalhar, enquanto ela dorme, estou na paz! Acordou e veio a agitação de livros, cadernos, equipamentos electrónicos, reunião via Zoom com a professora do centro de estudos e respectivos colegas para definirem o que vai trabalhar esta semana… eu entretanto entro numa reunião via  Teams e ela aos gritos como se isto fosse o recreio da escola. Enfim, Welcome to Covid Scenes part III - ou será IV, V…. Estamos vivos, até ver  
 

A absorver a energia maravilhosa do nosso país

  Lousã, 2022