Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de 2021

Ouro para Pichardo

 Quando um ser humano escolhe outra nação para ser a sua e faz História, a nação que o acolheu deve ficar-lhe eternamente grata. Muitos Parabéns pela vitória pessoal e pelo facto de voltar a colocar Portugal entre os melhores!

Vamos nessa!? Viva a infância!!!!

 

Não ganhei a aposta...

 Mas também não a perdi na totalidade, pois foi alcançado um bom resultado e mais uma medalha para Portugal. Ter uma medalha de bronze no palmarés, ainda que não seja a dourada, é um grande marco. Parabéns Fernando Pimenta!

Aposto no Ouro

 Vou adormecer com fé no Pimenta! O Record Olímpico já é dele. Tem tudo para brilhar ainda mais. Se não for, continua a ter todo o mérito. 

Era uma vez os 3, os famosos Moscãoteiros

 O regresso ao cinema

Mais um título. Parabéns Patrícia Mamona.

 Para além do talento é bonita que se farta.

É o nosso Ano

 Que haja motivos para nos alegrar a alma!

Wow!

 Para quem como eu, gosta de relógios!

Há que saber parar, é sinal de inteligência!

 

Guerra química sub-cutânea

 E três dias depois o aspecto é este! Não acho normal uma simples vacina ter este poder maléfico! Parece que levei um tareão!

E terminei na urgência

  Não me lembro de para mim alguma vez me ter sido atribuída uma pulseira laranja na triagem de Manchester. Hoje foi o dia. Eu que me gabava de não ter efeitos adversos chatos a registar…afinal lixei-me.  Nada de pânicos. Apenas tomei a liberdade de ligar para a Saúde24 por ter o braço dormente e uma dor que alastrou ao pescoço. A verdade é que o braço está muito negro mas não fiquei alarmada. Ao me atribuírem a pulseira laranja já fiquei mais em sentido. Passei lá umas boas horas, fizeram uma série de despistes neurológicos, radiografias ao pescoço, ainda se pensou numa TAC, mas ao que parece o problema não é a vacina mas a forma como me foi administrada. Apanhou o nervo e o nervo inflamou e gerou todos os outros efeitos em catadupa. A verdade é que numa Urgência num hospital de que não gosto, fui extremamente bem atendida e senti que fizeram de tudo para perceber o que se passava por um lado, e por outro, aliviaram-me as dores. Tive azar, faço parte da ínfima percentagem da população

Efeitos secundários

 Tanto na primeira como na segunda inoculação adoptei a profilaxia profiláctica ou seja, paracetamol uma a duas horas antes da vacina e depois, oito horas volvidas um reforço, just in case. Correu tudo bem, não tive qualquer queixume a não ser a dor da praxe no braço. Nada que não se aguente. Nesta última fui presenteada também com uma mancha tipo nódoa negra algo extensa. Não sei porquê, mas também acredito que não vá morrer disto.

Achieved

 Inoculação marcada para as 11.28h e já estou despachada. 2 doses completas. Sem filas, sem tempos de espera exorbitantes, funcionários nota 10. Que seja um passo para a tão desejada imunidade de grupo!

Regresso à rotina

E voltámos com dois tons acima de castanho na pele, um pouco mais relaxadas e já com saudades da temperatura agradável que se faz sentir dentro e fora de água no Algarve. Agora é contar literalmente as semanas que faltam até chegarem as férias a sério. Este ano estão a ver-se gregas para cá chegar! Algarve & Costa Vicentina, 2021

Algo me diz que era capaz de se habituar a isto

 Rumámos a sul e assentámos arraiais na zona do Alvor…as horas passadas dentro de água foram superiores a tudo o resto. Temos anfíbio!

Jogos Olímpicos

 Emociona sempre… Boa Sorte Portugal!

Anda tudo um pouco alterado

 Ontem fui ao aeroporto para a zona das chegadas. Estacionei no parque do costume que dá logo acesso no seu interior ao Terminal do Aeroporto. Quando me começo a dirigir para a porta vem um PSP em minha direcção com os braços no ar a acenar. E eu, continuei calmamente com a minha filha pela mão. E ele continuava persistente até que, mais próximos lhe perguntei:  - Senhor Agente, isso é para mim? E ele: - É é, não pode entrar, já está fechado! Parei, olhei para a minha filha, olhei para ele e perguntei: - Mas o que é que está fechado? Eu venho buscar uma pessoa. Fecharam, o espaço aéreo, é isso!? - logicamente que estava a dizer isto e a rir-me por dentro. Ao que o Agente se desfez em mil desculpas: - Desculpe....eu pensava que vinha para a fila das malas! O Senhor Agente pensou....logo existe!

Raios partam o Covid

 Que me fez perceber que a minha cabeça já não é o que era.  Há uns dias tinha ficado combinado um jantar…em casa. Chego e sou desafiada para um jantar fora de casa. Ok, peguei na clutch e atirei para lá 2 cartões e outros objectos pequenos essenciais. Saímos, chegámos ao restaurante e: O certificado? Ainda dei comigo a parar uma fracção de segundo para tentar perceber que raio de pergunta era aquela for Christ sake. Ah e tal, para entrarem só com o certificado. Pois, ya, falha minha sem dúvida que já tenho o certificado da primeira dose há 3 semanas e não só não o tinha comigo, como também não tinha uma foto. Coisas básicas. Bom, pensei vou retirar à net. E cadê o cartão de cidadão pois sei todos os números de cor menos o de utente do SNS.  “Não trouxeste o cartão de cidadão?!” Ya, mais uma falha, 3-0. Mas eu não desisto e dei voltas à cabeça para encontrar forma de descobrir o meu número de utente. O plano A não funcionou, pois liguei à minha irmã e ela não tinha nenhuma cópia do meu

O Rei Morreu!…..Viva o Rei!

Desconheço se faleceu algum rei nos últimos dias, não tenho recebido muitas notícias das monarquias desse mundo fora. Mas hoje senti-me no meio dessa dicotomia. Ainda há pouco mais de uma semana a criança terminou a escola, há dois dias fomos devolver os livros escolares para serem reutilizados e hoje peguei na miúda e fui até ao Corte Ingles comprar o material para o próximo ano lectivo.  Não, não é assim tão cedo. Daqui por 2 meses já o novo ano lectivo recomeçou e eu não sou menina para andar a gramar com a histeria das pessoas comuns que enchem as superfícies comerciais na segunda semana de Setembro, completamente alteradas a açambarcar tudo o que haja nas prateleiras, como se estivessem todos a criar verdadeiros génios. Nessa altura, para além de ser desumano ver-se uma pessoa em filas a fazer lembrar a corrida aos racionamentos alimentares da Segunda Guerra Mundial, não há margem para escolha, os preços estão inflacionados e…está tudo muito histérico. Fazer essas compras agora é

Talvez seja o caminhar a passos longos nesta travessia que é a década dos 40

 Mas de facto atingi este patamar. Com certos seres humanos não vale mesmo a pena arguir…

Em mood “Another Covid Summer”

 

Mocinha

 Os brasileiros utilizam um termo muito querido para esta fase que testemunho aqui em casa - a minha menina está a ficar uma “mocinha”. E é tão giro vê-la nesta transição a assumir as feições que serão dela nos próximos anos. Elegante e cheia de graça. É tão bonita.❤️

E o que sentir senão um extremo orgulho quando uma filha transita de ano assim:

 Cidadania, Educação Física, Educação Musical e Português - 4 Ciências Naturais, Educação Tecnológica, Educação Visual, História e Geografia de Portugal, Inglês, Matemática e Tecnologias de Informação e Comunicação - 5 De um total de 11 disciplinas, quatro delas classificadas com 4 e sete delas classificadas com 5. Sou uma mulher abençoada. Sou mãe de uma miúda incrível e que tantas alegrias me dá. 6º Ano - aí vai ela!

A Princesinha

 

Hoje fiquei a saber que…

 A nossa Senhora está comigo porque: Sou bonita Sou simpática  E…..não tenho problemas em falar com os ciganos Mais vale cair em graça do que ser engraçado. No fim não comprei as peúgas à senhora, mas não me parece que me tenha rogado praga alguma. Para que conste.

E não satisfeitos...

 Após a conversa telefónica recebo um email a sensibilizar-me para lhes consignar os 0,5% do IRS, imposto esse que já declarei, pois o prazo terminou a 30 de Junho. É falta de sentido de oportunidade ou não é!?

Falta de sentido de oportunidade

 É das coisas que me causa alguma urticária aguda.  Ora vejamos, sou uma cidadã atenta ao que se passa à minha volta e não suporto injustiças. Tendo fazer a diferença dentro das minhas possibilidades e convicções, por isso, sigo algumas ONG's e o seu trabalho e não fosse o facto de ter uma criança pequena, uma das minhas ambições era enfiar-me um dia num campo de refugiados ou numa missão...para ajudar. Não penso nos perigos contra a minha integridade física que daí poderiam advir, penso apenas que quem não tem protecção alguma a vários níveis, necessita de todo o nosso apoio e até de um abraço. Se nós que vivemos num meio minimamente civilizado e com acesso a tudo e mais alguma coisa, precisamos de colo, quanto mais não precisará quem nada tem? Ora bem, ontem já a noite ia longa, assinei uma petição da Amnistia Internacional relativa a uma causa que me é sensível - Fome no Sul de Angola. Como me comentava um amigo, "poderia até ser cómico, se não fosse tão trágico", send

O homem é um animal de hábitos....e a mulher...idem

 As janelas de minha casa dão para a anterior escola da minha filha. Escola Primária com Jardim de Infância incluído, portanto a animação é imensa. Estando em teletrabalho, e dando as minhas janelas para lá, estes meses foram uma (des)animação. Os miúdos devem ter os intervalos/pausas todos desordenados por causa do sistema de "bolhas" imposto pelo Covid pelo que em vez de se ouvir barulheira 2/3 vezes ao dia, o barulho era constante. Uma gritaria desenfreada, quais pardalitos com pulmões de águias e condores à solta. Tinha dias em que amaldiçoava os miúdos, pois estando em reuniões ou a fazer tarefas que implicam concentração extrema, aquela gritaria incomoda. Desejava que se transformassem em toupeiras silenciosas. Esta semana então, foi o caos. Desde segunda-feira punham em modo repeat  o "We are the Champions" e uma música qualquer dos manos Carreira em que se ouvia também a voz da miúda falecida e claro, os padralitos a cantar em coro. Há cerca de 2 horas, fez-

The Neverending Story • Theme Song • Limahl - A minha singela homenagem ao Ano Lectivo 2020/21 que hoje termina para a minha filha

Existem pessoas muito doidas!

 Eu não acho normal, a dois dias de terminar o ano lectivo, a minha filha ainda estar a estudar Inglês e a fazer trabalhos a esta hora. Só pode ter nascido com um problema qualquer naquele cérebro.  Responsabilidade e brio sim, mas a este nível já é doença. 🧐🤔 PS: E ou muito me engano, ou àquela disciplina vai ter no mínimo… um 5, dados os resultados brilhantes que foi trazendo ao longo do ano, ao ponto da professora a presentear sempre com uma flor dourada colada na folha das provas escritas.

Televisão com menos de 4 anos…caput

Cada vez mais os equipamentos não valem nada. Comprei a minha televisão da marca Samsung 4K Smart TV há menos de 4 anos. Não custou milhares de euros, mas também não foi barata cá para o meu bolso. Pensava ter uma televisão para uns bons anos.  Pois que começou a ficar avariada das ideias e a desligar-se sem ordem quando lhe apetece. Ainda me indispus com a assistência técnica que vem formatada para só actuar se virem a avaria, mesmo depois de eu ter dito que é intermitente, mas que isso já quer dizer alguma coisa. Se reparam televisões devem saber melhor o que pode ser, do que eu, uma mera espectadora.  Bom, lá se predispuseram a testar coisas e deram conta que um Led foi à vida, mas foram logo dizendo que não é uma condição sine qua non para ela se desligar, mas que sendo assim iam levá-la para fazer mais testes e reparar o que tiver que ser reparado. A minha sorte é: dado o valor que paguei, na altura optei por, por mais umas dezenas de euros, contratar uma extensão de garantia, pel

Dia feliz

 Quem nos segue sabe que este, é um dia muito especial. E procuro sempre que o passe como gosta, com quem gosta e que haja magia. Este ano com a paixão pelo tema Harry Potter, fez-se magia e ela…adorou. E eu fiquei feliz por saber tê-la feito feliz. Agora é viver o melhor possível os 11 anos.

2 Mãos completas de anos…e mais um!

 Tenho uma filha com 11 anos. Fui mãe há 11 anos. Mãe, passei a ser a Mãe da Ana Rita e muitas vezes a deixar de ser chamada pelo meu nome. E que bom que foi e é ser mãe desta criança. Sinto como se tivesse feito sempre parte da minha vida. Sinto que a conheço desde sempre. Sinto-a literalmente como uma parte de mim, a minha melhor parte. O meu coração a bater fora do corpo, o meu orgulho, o amor da minha vida. Está a crescer linda, é uma menina com carácter, integra, com valores. Enfim, uma peste!  Parabéns meu Amor.

Último registo dos 10 anos

 

Cai a ficha

 Hoje recebi um email da directora de turma com o calendário para as próximas "hostilidades". Dia 08 terminam as aulas, dia 13 lançam as notas, dia 16 tenho que ir devolver os manuais escolares. No caso da minha princesa não há matrículas porque não muda de ciclo e passa a ecoar na minha cabeça: a minha filha já vai para o 6º ano. Há 11 anos atrás, a esta hora tinha eu ido há pouco tempo à casa de banho e aconteceram umas coisas que fisiologicamente me eram estranhas. O resto já se sabe pois 2 dias depois, precisamente a esta hora, já a tinha nos meu braços. Linda, perfeita e muito chorona.

She…..

 

Coisas que chateiam

 Um dia destes precisei de ir à CGD - aliás, precisar não precisava, já que se tratava de um movimento igual a tantos outros que se podem fazer sem termos que nos deslocar à agência, mas aquele caso específico ainda não está complementado e obrigam as pessoas a deslocar-se lá. Podia ser interessante...só que não. Tirei a senha às 08:41h, em teoria tinha 8 pessoas à frente e saí de lá às 11:00h, o que é de facto surreal. Que o atendimento da CGD sempre foi péssimo, é um facto, mas a verdade é que quando pensamos que já não pode piorar...piora mesmo. Eu não queria acreditar. Mas na espera, assiste-se de tudo e sem pagar bilhete o que torna aquele tempo em algo lúdico. Desde pessoas em série a ver os seus cartões a ser subtraídos pela máquina Multibanco, e a reclamarem, e a tentarem entrar no balcão à força e passar à frente de quem tinha senhas, passando por um emproado de um gestor a andar a passear dentro e fora com as calças do fato todas rasgadas entre-pernas, rabiosque e afins, as v
 Finalmente o dia da vacina chegou e optei por tomar paracetamol 2 horas antes, just in case. Estava um bocado acelerada porque tive uma manhã louca e não sendo de todo um drama levar uma vacina, com tanta cuidados e reacções adversas para alguns, resolvi precaver-me. Uma noite de febre não me apetecia nada. Entretanto já tomei outro para dormir uma noite de anjo. O processo em si foi muito rápido e bem organizado. Fui levar a vacina ao Parque das Nações e só tenho a dizer bem; das pessoas que nos encaminham para os sítios certos, das explicações que nos dão sem pressas, da organização, profissionalismo e até do miminho da Câmara de Lisboa que à saída tem um saquinho com água fresca e umas bolachinhas para os recém vacinados. Daqui a um mês tomarei a segunda dose. Por agora apenas a dor no braço da praxe, para já muito leve, nada comparada com a última vacina do tétano que levei, essa sim, que me traz más memórias, de tantos dissabores me causou nos dias seguintes. Protegida, ainda não

…e o pós! Feito!

 

O quase quase….

 

Parte I

 Profilaxia profilática:

Fosse eu rica

 E vestir-me-ia em Alexander McQueen todos os dias. Olhem-me para isto! Uau!

Serão na Urgência pois claro

 Com a minha filha é raro, mas quando dá é em bom. Chegadas a casa, a saga de vomitório continuou em grande…mas, por fim acalmou. Dei-lhe um chá e torradas e ela comeu com gosto. Mas de repente olhei para ela e a criança tinha a cara cheia de petéquias. Isso assustou-me, pelo que peguei nela e rumei ao hospital dos miúdos. Ainda não tinha ido à Estefânea em tempos de COVID e de facto entrar numa urgência em tempos de pandemia infunde respeito. Corredores inócuos, passamos por meio de plásticos a fazer lembrar um filme manhoso de ficção científica. Fomos encaminhadas para a urgência geral e numa primeira triagem foi-nos dito que as petéquias era resultado do esforço para vomitar, ou seja, Milady Bébecas rebenta os vasos sanguíneos da face e fica com a cara feita num bolo, com laivos de sangue e um aspecto deplorável. Mas eis que na espera a reacção química se repete e ela vomita-se toda sem termos tempo de chegar a um sítio mais reservado. Resultado, foi máscara, foi roupa e sapatos del

O que não vem a calhar

 É receber uma chamada para ir buscar a miúda porque está a vomitar. Ir buscá-la e no caminho só ter tempo para a encaminhar para umas ervas daninhas na berma da estrada e vomitar outra vez. Ainda pára um carro com as professoras que percebem a nossa aflição e me repõem o stock de papel para lhe limpar a boca. Chegar a casa e a saga continuar, como se não houvesse amanhã. Vomita tudo, quase até às entranhas. Neste momento já nem fluidos tem, mas continua a vomitar já nem percebo o quê. Não sei que lhe faça.  Em quase 11 anos de vida, é a primeira vez que passo por uma situação destas com ela. E já percebi que é chata. Não quer que a ampare, não quer que lhe segure a cabeça, não quer que lhe limpe a carinha - coloca a mão em riste em sinal de STOP 🛑 que até mete medo. Deixou-me lavar-lhe os pés. O trabalho sujo fica sempre para a escrava mãe. Não me atrevo a contrariá-la. Isto por aqui está agreste.

Há coisas que não se percebem

 Em certos locais o país está semi-cercado, pedem-nos que restrinjamos ao máximo as nossas deslocações e muito bem.  O que não compreendo é que a segunda figura da nação, ou seja, o Ferro Rodrigues nos inste a dirigirmo-nos massivamente para Sevilha no próximo fim de semana. Está tudo doido.

Eles jogam…

 Eu passo a ferro. Pode ser que dê sorte!
Não fosse esta "Peste Negra" que nos acompanha há já quase 1 ano e meio, a Milady Bébécas terminaria as aulas esta semana. Assim como assim, ficou com um Delay de 2 semanas que eu agradeço. Está ocupada e como para ela ir para a escola é um gosto, so far so good. O balanço deste ano lectivo, para além de um quase burnout para a mãe, está a ser positivo. Um isolamento profiláctico para a mãe, ela teve sorte e não apanhou nenhum susto, nem isolamento de turma, nada. Apesar dos quase 3 meses de aulas online, sinto que as aprendizagens surtiram efeito, e sinto que as coisas podiam ter corrido muito pior. Não obstante anseio que depois desta nova tempestade que se está a viver, venha a tão ansiada bonança. É que isto já chateia. Estão demasiadas pessoas a sofrer, já faleceu muita gente, ninguém está livre de passar pelo drama que é esta doença.

Nas Filipinas é que é...

Ao que se chega quando existe excesso de autoridade de uns e falta de conhecimento de outros... Presidente das Filipinas ameaça prender quem recusar a vacina. Discotecas em França reabrem a 9 de julho : Acompanhe o principal noticiário deste dia sobre a pandemia.

Nada melhor do que um bom brunch de Domingo

 

Em 1147, em 1384, em 2021...

 Mais um Cerco de Lisboa que ficará para a História! O de 1384 foi levantado à conta da Peste Negra. O de 2021 deu-se à conta da Peste Covid. Ironias históricas.  Nunca pensei eu quando estudei estas coisas, que também iria fazer parte de um Cerco de Lisboa em pleno século XXI.

O que dá ter uma ratazaninha fofinha em casa

 Por vezes já depois dela se ter deitado vejo o gato estático à porta do quarto dela, tipo sentinela. Achava estranho, mas como o animal é muito protector e, embora ela o chateie demasiado, já percebi que ele não vive sem ela, não liguei. Pensei que ele era só parvito, pois a cama dele é bem mais confortável do que o chão frio da entrada do quarto. Ontem deu-me a saudade muito mais cedo do que é costume e fui dar-lhe o beijinho de boa noite mais cedo do que é hábito. Abro a porta, ela como sempre debaixo do edredon, levanto a coberta e dou com ela do seguinte modo: Venda dos olhos na testa - tipo aqueles velhotes que usam a máscara a tapar o queixo Livro do Harry Potter Mini lanterna alimentada à manivela Quer isto dizer que quando penso que ela está a dormir, ela está debaixo do edredon, à média luz com o gajo , o tal do Harry Potter. Portanto mesmo nas minhas barbas. Depois para se levantar de manhã é o caos, porque não ouve o despertador. Mas como tudo tem uma explicação, com 1 tiro
 

Há coisas que nunca mudam ou...como fazer com que os nossos filhos nos achem o máximo

 Quando era miúda deu-se o advento dos jogos de computador. Desde o velhinho Spectrum 48K que o meu padrasto me deu e a odisseia que era correr um jogo fazendo antes "Load "" Enter" até chegarmos a tecnologias mais avançadas, digamos que eu era "pro". Até um jogo cheguei a desenvolver em linguagem Basic - vejam lá o dinossauro que eu já sou. Jogos de lutas, guerras e tiros nunca foram o meu forte. Sempre alinhei mais em estratégia e.....Prince of Persia, of course. Mas a pessoa cresce e depois apareceram os Farm Ville e coisas do género em que a pessoa não tem que pensar e passa o tempo e a cabeça esvazia e pouco mais.  Mas tenho uma menina, que por acaso tem uma consola e, embora que com as devidas regras, porque primeiro está o estudo, a leitura, as brincadeiras saudáveis e, no fim, sobra algum tempo para o ócio assim mais básico que é olhar para a consola ou para o que ela projecta para a televisão, e jogar. É como a mãe, não quer cá pancadaria e jogos

Ar “supimpa”

 Ontem trouxe a fotografia da praxe da escola. Pensava que isto terminava com a Primária, mas afinal a saga continua. E eu entro em delírio com a pose e o ar crescido. Eu juro que ontem mesmo ela estava a dar-me pontapés dentro da barriga.  Que raio de magia é esta?

Ao quadrado!!!!!

 

Oups!

 

É assim a minha filha

 A avó deu-lhe dinheiro para ela comprar qualquer coisa. Escolheu comprar um jogo para a Nintendo Switch mas ainda sobrou algum. Disse-lhe que tinha sobrado e perguntei-lhe o que queria comprar mais. Ficou de pensar.... Ontem diz-me assim: "Mãe, já sei o que vou comprar com o troco. Uma caixa com bolinhos para ti!" É impossível uma pessoa não ser perdidamente apaixonada por esta menina.
 A miúda está prestes a entrar para um Exame de Português. Não tem noção de que um exame pode alterar a vida de uma pessoa, quanto mais não seja, momentaneamente. Não é o caso deste, pois trata-se de uma Prova de Aferição, mas a verdade é que não deixa de ser um exame, ainda por cima de uma disciplina tão importante como o é a nossa lingua materna - e fala-se tão mau português. E a passos largos caminha para o fim deste ano lectivo, também atípico, trabalhoso e, para ela, com muitos sucessos e muitas novas aprendizagens adquiridas.

Nomadland - Um (muito) bom filme

 Pensava já não ir a tempo mas ainda o apanhei em cartaz e em boa hora o apanhei disponível. Prendeu-me ao grande ecrã desde o primeiro ao último minuto, deixei-me ficar a digeri-lo no fim até as últimas legendas desaparecerem e deixarem a tela negra. Se por um lado o regresso ao cinema foi bom, após meses e meses de jejum cinematográfico, por outro foi um misto de sensações que vivi enquanto assistia àquele filme. De cada vez que vejo a Frances McDormand a representar fico petrificada com aquele talento. É uma actriz brilhante, do melhor que temos neste momento. Mas o filme…bom, o filme para além de conseguir captar-nos a atenção, não sendo um filme de acção, tem uma componente dramática fora de série. Levou-me a repensar no sentido da vida, no sentido da minha própria vida, onde quero estar e com quem, como pretendo acabar e onde, doente ou não, feliz ou não. Acima de tudo, o sentido disto tudo. E por vezes percebemos o sentido disto tudo quebrando barreiras e vivências que damos com

A vida a acontecer

 E a trazer a morte com ela. Hoje a notícia de mais uma morte anunciada...mas para os mais próximos ficam sempre muitas coisas por concretizar. Comi feita por ele a melhor carne à Laura Palmer da minha vida, mesmo depois de me ter explicado que a maturava artesanalmente ao ponto de ficar em semi-putrefacção...daí o baptismo de Carne à Laura Palmer, para quem claro, alguma vez na vida viu a maravilhosa série Twin Peaks, vai perceber a graçola. Teve uma vida engenhosa, era um engenheiro na verdadeira acepção da palavra e tinha uns hobbies que passavam pela construção de barcos e comboios que fascinavam dos mais novos aos mais velhos. Partiu e desejo também que finalmente descanse em paz, porque ao que sei, os últimos anos foram pautados por demasiado sofrimento físico. 

Momentos da maternidade que são dispensáveis

 Tinha-a deixado na escola há cerca de 15 minutos. Nisto, toca o meu telemóvel e a chamada provinha da....escola. Aquela fracção de segundos entre atender e ouvir o que se passa, é um milésimo de segundos sim, mas dá para pensar que vem aí uma cabeça partida, um braço deslocado, pancadaria com os colegas...sei lá. Atendi...oiço isto: “Mãe, podes cá vir trazer-me o lanche? É que eu esqueci-me.” Perante a surpresa digo-lhe com toda a calma que assim que possível lá passo a deixar o lanche, e ela: “Tem que ser até às 10, está bem?” Eu pensei: “então ó chavala, menos está bem?!”, mas disse: “A mãe já vai levar o lanche” E fui. Passado o detalhe de estar a trabalhar e não ter a vida dela e tal, mas lá fui levar o lanche.
 

Quando os valores vêm de berço

 Sempre honrei os meus compromissos e é algo que me entristece testemunhar a falta de comprometimento da maioria das pessoas com que me fui cruzando ao longo da vida. Seja a nível meramente pessoal como profissional, de um modo geral as pessoas não levam a sério a sua palavra nem tão pouco respeitam e honram os seus compromissos. Num último reduto será mesmo a falta de verdade intrínseca com que as pessoas vivem o seu dia a dia. Desde o seu primeiro contacto com a vida que transmito à minha filha os valores pelos quais me rejo e que acredito que serão das melhores bases que ela pode levar para a sua vida, sobretudo quando já não tiver ascendência sobre ela. Nada como ter bons alicerces para que a estrutura não abale e se desmorone. No início do ano lectivo disse-me para lhe guardar todas as tampinhas de plástico das embalagens para levar para a escola. Pede-o a todas as pessoas da família e amigos e a verdade é que todas as semanas consegue reunir uma quantidade considerável. Não falha

Quem será que inventou o nome para certas localidades!?

É preciso ter uma imaginação distorcida. Não haveria um nome mais bonito?

E venham agora dizer que "se é vício, é mau"

 Ofereci-lhe um livro há 3 dias; um pequeno mimo para celebrar o Dia da Criança. Hoje de manhã antes de ir para a escola disse-me assim: "Mãe, já li o livro que tu me deste!" Atenção que não se tratava de um livro de bolso. Tem qualquer coisa como 411 páginas repletas de aventuras. Como é possível existir quem não goste de ler....

Está a praticar para ser tipo Marcelo Rebelo de Sousa

 Ou não continuasse ela com o vício de ler mais do que um livro ao mesmo tempo. É um encanto esta menina. 
 

Incursão pelos desígnios da fé

 Ficou calma e tranquila ao ver a imponência do Santuário.  A verdade é que, mais ou menos crentes, muito ou pouco praticantes, é emocionante visitar o Santuário de Fátima.

Não posso dizer que tenha mergulhado

 Mas deixei que a água fresquinha me preenchesse até ao queixo. Foi o primeiro banho de piscina do ano. Évora

Não há palavras que definam

 O quão magnífica é esta farinheira. Comer é de facto dos maiores prazeres que podemos experienciar  O Fialho, Évora 

E como nem só com Covid se tem que preocupar a Humanidade

 Hoje também foi dia de vacina para a minha rainha pequena. Agora, se não inventarem mais doenças, só lá volta em 2035.

E nisto

 Apercebo-me que faltam apenas 6 semanas de aulas. Este ano lectivo atípico com aulas on-line, férias forçadas e afins, passou a correr. Um mês e meio e já era.

Sexto!? Como....?

 Pois que há uns dias atrás fui com a minha filha a uma consulta e a funcionária administrativa pergunta-lhe assim: “Então e vais passar para que ano?” Achei piada à convicção da senhora tomando como dado adquirido o (bom) aproveitamento da pequena. Responde ela, se, hesitar: “Para o sexto!” E eu fiquei ali quieta por uma fracção de segundos a interiorizar que a minha menina, aquela que ontem dava pontapés da parte de dentro da minha “barriga”, já vai para o sexto ano e tem sido uma aluna exemplar. Não fosse o comportamento que nem sempre é o ideal, a miúda seria perfeita. Mas também, quem é que quer filhos perfeitos!? Eu prefiro-a assim, imperfeitamente perfeita. 

Há pessoas com uma grande lata

 Pois que saio de casa de manhã para ir deixar a herdeira à escola e sintonia ar puro, aquela brisa da minha cheirosa e cheia de vida. A meio do caminho sinto que algo não estava a bater certo. Nisto, levo a mão à cara e...cadê a máscara?  Pois é isso mesmo. Saí de casa em mood  pré-Covid como se fosse a coisa mais natural do mundo. Por acaso não me cruzei com ninguém e tive o cuidado de colocar a écharpe à volta da boca, just in case. ....vou ter que me auto-flagelar porque este acto falhado soube-me mesmo bem. Só quando perdemos certos privilégios que sempre demos como adquiridos, percebemos a importância de coisas tão simples quanto sair de casa com a cara a descoberto e sentir o ar, apenas isso, o ar, a atravessar-nos a pele, sem restrições. Espero não repetir o esquecimento. Justificações à parte, não me ficou bem tal acto relativamente negligente.

Quando uma pessoa é por condição altruísta e não a deixam sê-lo

 Esta cena das vacinas já começa a chatear e as pessoas não têm noção que podem tomar Aspirina uma vida inteira e chega um dia em que fazem um choque anafiláctico e podem ir desta para melhor com o fármaco com que se deram bem uma vida inteira. Na última inoculação da vacina anti-tetânica que me fizeram, isto há 10 anos atrás e nunca tal me tinha acontecido na vida, o meu braço inchou para o dobro, fiquei sem quase o mexer por 3 dias e tive febre, e outras reacções adversas. Calhou, não morri, mas nunca sabe qual a reacção que o nosso corpo pode fazer. Isto é básico, o triste é levantar-se esta celeuma porque tanto a patologia como as vacinas são novas e esquecem-se de enquadrar a população que é ignorante nesta temática, no que pode ocorrer quando administramos uma substância estranha no nosso organismo. Vão ser ocorrer reacções mais ou menos adversas nalgumas pessoas, algumas podem morrer ou ficar com sequelas para o resto da vida - a questão é: isto ocorre numa minoria versus o núme

Zé - 1 ano de saudade

 

A despedida da vida para uns

 Há 1 ano atrás vivíamos horas amargas e com uma tremenda frieza e presença de espírito lembro-me de ter dito à minha irmã algo assim: "Tens noção de que o teu pai (meu padrasto) só vai aguentar mais umas horas!? Temos que ser fortes, mas ele não vai durar mais 24 horas." E ela respondeu: "Eu sei!" Tínhamos ambas esta noção de um modo consciente, mas a verdade é que mesmo verbalizando, fica sempre aquela esperança de uma espécie de milagre, as memórias do passado sobrepõem-se ao presente e parecia que íamos voltar a dar os nossos passeios e umas belas almoçaradas por esse país fora. Sabemos lá, podia ser que o corpo começasse a responder, por artes mágicas. Mas não...foram mesmo mais umas escassas horas de vida; oxalá me tivesse enganado, como me enganei ao longo da vida nalgumas relações humanas que não foram boas para mim e eu, ingenuamente achava que sim. Tanta presença de espírito nalgumas coisas e tanta ingenuidade para outras. Temos muitas saudades dele, de o

É feio

 Testemunhar falta de civismo, sobretudo no desporto...no futebol. Seja que clube for, neste momento todos os grandes e não só carregam às costas o peso de comportamentos e atitudes deploráveis. Se prémios houvesse para avaliar o índice de ordinarice, teríamos vários vencedores ex aequo. Não haveria taças que chegassem. Venham daí uns Bafta para avaliar a ordinarice nas suas várias categorias. Enfim...venha a próxima época.

Vaccinated mater sumus

 Que é como quem diz, a mãe já está vacinada! Foram meses de incerteza e ainda por cima com a polémica da Astra Zeneca - mas como devagar se vai ao longe, e com algum trabalho persuasivo das filhas no sentido de avaliar muito bem em que sentido corria mais riscos, lá foi. Levou a que ela temia, mas eu quero crer que mesmo que na primeira noite tenha alguns sintomas adversos dentro da tipologia de uma gripe aparente, que em 2 dias esteja óptima e a caminhar a passos largos para estar protegida. Segunda dose em Agosto. Done!

OLÁ na vanguarda das boas surpresas! Viva o Sporting!

 

Guida

 A minha madrinha faria hoje anos. E volvidos quase 6 anos desde a sua passagem para outra dimensão, ainda não me caiu a ficha. Este mês de Maio passou a ser de má memória.

Marcações à moda do LIDL

 Tenho uns exames médicos marcados e foi com alguma surpresa que me apercebi das horas exactas para a realização dos mesmos. Vejamos: 1º Exame - 14:36h 2º Exame - 14:46h 3º Exame - 14:51h Faz-me lembrar os preços terminados em ,99€ São horários válidos, sem dúvida, mas não deixa de parecer um pouco estranho. Sou mais das horas redondas ou, quando muito, em quartos. Agora este detalhe é inovador. A ver vamos se cumprem o horário à risca.

Meio alívio

 A minha mãe já foi contactada para a inoculação da primeira dose da vacina. Agora segue-se o dilema: não quer Astra Zeneca, está no seu direito, mas eu já lhe dei a minha opinião, fundamentada com os factos de que dispomos. A decisão final será dela, mas ficarei mais descansada no dia em que a souber vacinada.

Oups! I did it again!

 Ir às lojas fetiche é o que dá. Nunca me tinha acontecido comprar uns sapatos na Carolina Herrera. Hoje foi o dia. Lindos e elegantes, porque eu mereço!

A miúda tem talento...

 E não é que a tal folha mágica que tive que lhe comprar, é mesmo mágica? Uma simples folha de tamanho a roçar o A4, um desenho, um forno, depois encolhe e dá isto. Riqueza de sua mãe, tão habilidosa.

Questão pertinente

 Então e após este sururu da vacinação e depois de chegar a quase todos, afinal quando tempo de imunização temos? Qual o nível de eficácia? É que com as mutações a que temos vindo a assistir quer-me parecer que vamos passar a vida a ser inoculados. 🤔

Sim, porque estar confinado em casa e com crianças em crescimento significa ataques constantes ao frigorífico e à despensa

Famílias gastaram mais 16 milhões no super em abril : Portugueses continuaram a abastecer os carrinhos de compras com bebidas e agora com produtos de higiene pessoal. Primeira semana de maio aponta para uma subida de 17% no uso de cartões de crédito, face a 2019

Interpretou muitos personagens ao longo da vida, mas nunca me esquecerei da Lucinda do Médico de Família

 Não há mais nada a dizer perante o desaparecimento de uma pessoa talentosa, jovem, com muito para dar e, pela boca de quem a conhece, uma boa pessoa. Acho que o último reduto será esse...ser-se recordado como, uma boa pessoa, apesar das vicissitudes da vida. Tenho muita pena deste desfecho. Paz à sua alma Maria João Abreu....Lucinda....”óh troilaré, óh trolaró, vieste pra mim, vieste pra cá!”

Quando os nossos filhos fazem de nós moços de recados

 Ontem incumbiu-me de lhe comprar uma "folha mágica" que precisa para a disciplina de EVT. Confesso que perante este pedido, pensei que estava a gozar com a minha cara, no reino da fantasia, dos duendes e unicórnios, mas perante o seu ar seráfico, percebi que de facto devem existir folhas mágicas à venda. Tive que abdicar da minha hora de almoço para ir à procura do dito papel - os professores devem pensar que os pais não têm mais o que fazer. Lá cheguei à papelaria indicada pela miúda; sim, porque trazia um papel com o nome para eu ir pesquisar no Google Maps - de gritos. Tinham a tal folha, que de mágico, pelo menos o preço não é - 2,20€ por um pedaço de papel que dizem ser "mágico". Não percebi que mistérios encerra, a não ser que é cara como um raio.

Quanto às celebrações do Título

 A pouca vergonha é sempre a mesma: ressaltam a falta de educação, princípios, calma, paciência, presença de espírito, respeito, etc., etc., etc., e nisso, são todos iguais, trate-se de que clube se trate. Aquela onda do peace and love , abraços e gargalhadas, bons exemplos, são características que não assistem a esta gente. Deixam-se de lado as celebrações positivas, para se primar pela violência nas palavras, nos gestos, até na forma de estar. Odeio pobreza comportamental. Que asco. 

A minha mãe chora...

 Juro que não me lembro de a ver assim por desporto, desde a morte do Ayrton Senna. Nem quando ganhámos o Europeu. A minha filha já me veio cobrar o cachecol e a camisola e eu estou cheia de urticária por não poder ir fazer a festa. *€&#@ Covid. 😡 Viva o Sporting. E agora só me lembro da Maria José Valério. Merecia cá estar a cantar a sua marcha.

Quando as minhas miúdas conspiram

 A que eu pari pediu à que eu desejei como irmã para irem comprar juntas um presente para a que eu pari me oferecer pelo Dia da Mãe. Houve mudança de planos e dava muita cana a que eu desejei como irmã vir buscar a que eu pari e então a mais velha ficou incumbida de comprar mas seguindo o pedido da que eu pari. A que eu pari, como se sabe tem 10 anos e decidiu oferecer-me o seguinte livro, e para tal fizeram umas tantas chamadas telefónicas literalmente nas minhas costas para lá chegar: E não é que as miúdas acertaram num livro que de facto me interessaria ler!? Cada vez mais espantada com a sensibilidade e afecto da mais velha perante mim, a sua mana velha, e da mais nova que, com 10 anos já tem um sentido literário apurado.  Há-de chegar o dia em que morro e que as deixo por cá, mas estas nunca me irão desiludir.
 

Talvez a melhor decisão dos últimos tempos terem chamado o Vice Almirante para coordenar a vacinação

O exército de camuflados por detrás da vacinação : Esta semana, Gouveia e Melo entrou em "modo de combate" em direção à meta de vacinar, em média, 100 mil pessoas por dia. No quartel-general junto ao bunker da NATO, em Oeiras, tem um exército de camuflados, cujas principais armas são as suas cabeças matemáticas.

Durante uns anos tivemos um destes “cá em casa”

 Nunca pensei que a minha filha tivesse como amigo imaginário um burro, mas a verdade é que teve mesmo. E não, não era um burro animado tipo o Eddy Murphy no Shrek. Era mesmo um....burro, um equídeo do mais real que pode existir. Dormia no quarto dela no chão ao lado da cama. Por vezes pedia-me uma almofada para ele. Confesso que ainda hoje não percebo como é que o burro se conseguia acomodar ali, mas devia gostar tanto dela que fez parte da nossa vida por uns anos. Nisto dos amigos imaginários não vale a pena contrariar. Quando saíamos, cheguei a perguntar-lhe se o burro também ia, e ela, dizia que sim. Perguntei-lhe um dia se ele ia no carro, porque consegui que percebesse que eu, não o conseguia ver. E ela, do alto dos seus 4 anos na altura respondeu assim: “Mamã, o burro não cabe no carro! Não vês que ele vai a correr lá fola ao nosso lado!?” Sim, nesta fase ela ainda não dizia os r’s, só os carregados. E aí se dúvidas tinha de que o burro existia mesmo para ela, foram dissipadas e
 A minha filha vê os filmes do Harry Potter em loop e eu...eu fico deleitada só de ouvir a voz do Alan Rickman. Era brilhante este Senhor e ouvi-lo falar, com aquela voz e dicção perfeitas é das melhores sensações que uma pessoa pode ter na vida.
 Há precisamente um ano atrás a situação do meu padrasto tornava-se irreversível, mas até eu, que antevejo com alguma clareza de espírito que o fim se aproxima, ainda não me tinha apercebido de tal tragédia. É mais fácil percebê-lo com os outros, do que com os nossos. Essa clareza só me assolou umas escassas horas antes da morte dele e em que me lembro de ter dito à minha irmã, com muita calma, que a jornada dele connosco estava por horas....estava. No momento em que tivemos esta conversa há quase um ano atrás, ele resistiu por mais 5/6 horas. A cada minuto eu estremecia só de pensar que o telefone naquela madrugada ia tocar....e tocou mesmo.  É muito recente, e vai parecer sempre que foi “ontem”. Tenho a voz dele claríssima a ecoar na minha cabeça, as graçolas, as brincadeiras...tudo, como se tivesse estado com ele há pouco. Na verdade não me despedi, não sei se por culpa do COVID, mas a verdade é que por uma ou outra razão, não me tem sido possível despedir dos meus mortos. Fico com

Cada vez mais perto

 De lhe comprar o cachecol e a camisola do Sporting campeão que lhe prometi!