Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Fevereiro, 2014

Ao Sr. Bélinha

Soube agora por um ex-professor meu do ISCTE que o Sr. Bélinha faleceu hoje; este meu professor já conhecia o Sr. Bélinha dos tempos de estudante e depois enquanto professor, escusado será dizer que quando entrei para o ISCTE em 95 já o Sr. Bélinha era uma instituição. O Sr. Bélinha, o Sr. Rocha, a D. Augusta - e nós respeitávamos estes senhores e tantos de nós que eles viram entrar, estudar, sair, ficar.... Agora veio uma saudade desses tempos...

Ela é assim

Hoje quando estávamos a sair de casa, perguntou-me porque não tinha trazido eu as minhas galochas, para ficarmos iguais. Como é sexta-feira e é o único dia em que uma pessoa se pode vestir mais à vontade, vesti as minhas calças de montar que são quentinhas e umas botas de cano alto normais. Lá lhe expliquei que não me ficavam muito bem as galochas hoje. De seguida disse-me que queria também ter sapatos de salto alto, ao que eu lhe comentei que para isso acontecer ela tem que ser muito crescida e ter muitos anos.  - Quero crescer depressa mamã, muito depressa, para ficar assim lindinha como tu! Que amor :)

O vestido da minha princesa

Amei; em bordado inglês, feminino, mimoso...realmente a roupa das meninas é um primor; e ela já o queria vestir amanhã. Hello, é um vestido para os dias quentes e especiais!!! E a túnica também é um mimo...a criança ainda só tem 3 anos e meio e já lhe compro roupa tamanho 6...o que ela cresce.

Washing machine

Pois é, calha a todos; a minha máquina de lavar roupa decidiu avariar. Deu-lhe na tola e mandou-me trabalhar a mim. Não faço ideia do que poderá ser, porque completou o ciclo de lavagem, fez o primeiro enxaguamento, centrifugou e depois ficou para ali a fazer barulho...pensei eu, está parva, desligo e volto a ligar. Desligá-la, tinha que o fazer, senão às tantas aquilo ardia, mas dado o facto de ser uma LG toda electrónica, deve ter baralhado os circuitos e decidiu não fazer nada. Qualquer comando que eu lhe ordene, a tipa tranca a porta, espera 5 segundos e desliga-se completamente. Agora tenho uma pilha de roupa meia suja/meia lavada, a máquina estoirada e a fazer contas à vida de quanto será o arranjo e quando a terei ao activo de novo. Diz a minha mãe - traz a roupa para cá; o Honey - lava na minha. Ya, é mesmo exequível fazer isso. Andar de trouxas para trás e para a frente; quando a roupa retornasse já precisava de ser lavada outra vez. Mas com uma bebé, começo a ficar em

Mas que grande noitada :)

Isto de se ter crianças, é sempre uma imprevisibilidade, e eu que o diga. Esta madrugada desperto com o chamamento da criança - mãe, mãeeeeeee. Lá abri o olho, disse que já ia a caminho e a pequena disse-me que tinha perdido a "Naínhas". É grave de facto, é a grande companheira dela desde que ambas existem. Entrei no quarto sem acender a luz para não lhe ferir os olhos e cheirou-me a qualquer coisa; pelo tacto nada de "Naínhas" lá a avisei que ia acender a luz, ela lá me disse que a coelha tinha caído pelos pés da cama, apanhei-a e continuei a achar que algo ali não batia certo. Destapei-a, a fralda estava bastante composta e pelo elástico da perna esquerda vejo "escuridão". Aquilo não foi um simples cócó, foi uma grande borrada mesmo. Era lençol de cima e de baixo, cobertor, edredon, a ela o dito chegava-lhe quase até à cabeça...e eu, com calma, a perguntar-lhe:  - Fizeste cócó filha? E ela: Não! Foi de gritos, eu nem sabia como é que ha

Esta Carolina Patrocínio chega a ser bizarra

Há quem a ache o máximo, eu sinceramente acho que dentro da normalidade tem umas pernas horrendas e os olhitos podiam ser mais direitos...mas tudo bem, a jovem apesar de tudo é vistosa. A maquilhagem e um bom cabelo fazem milagres. Mas este episódio da gravidez da rapariga...muito elegante, sim senhora, muitio desporto, muito tudo, mas exibir uma barriga destas às 35 semanas faz com que as mulheres mais tontinhas pensem que isto é que é normal e daqui a nada comecem a espartilhar as barrigas de grávida.

"Reciclar" o espaço

Confesso que as minhas aspirações a nível de consumo são muito generosas; a nivel intelectual muito mais ambiciosas e cada vez tenho mais a certeza de que não vou conseguir saber e aprofundar tudo aquilo que gostaria. O meu tempo começa a escassear... Mas a nível de consumo confesso que gostava de ter uma casa enorme; ainda não sei bem se o duplex, então triplex seria o ideal, ou uma moradia, mas as moradias têm as suas vantagens e desvantagens - seria basicamente a piscina para a minha filha, e um big cão, ou 2, mas um Castro Laboreiro era certinho :). Chateia-me o facto da minha mãe me vir com a conversa do que iremos herdar (eu e a minha irmã), porque ela própria me educou na base de que temos que contar com o que conseguimos alcançar sozinhos e não esperar que nos caiam bens de mão beijada. Isso é um perfeito disparate. Já o disse à minha mãe e são apenas 2 objectos dela que "cobiço", no bom sentido - o vestido que usou no casamento com o meu pai e uma tarteira de

Polónia: Arcebispo católico insinua que crianças também são responsáveis por pedofilia - Internacional - Sol

Polónia: Arcebispo católico insinua que crianças também são responsáveis por pedofilia - Internacional - Sol Não me espanta; quando estagiei num estabelecimento prisional do nosso país apanhei pedófilos que me disseram que a culpa era das criancinhas - estamos a falar de crianças com 5 anos. ..enfim, este arcebispo faz-me desconfiar da sua verdadeira orientação.

Achava eu que a probabilidade de tropeçar no pai do Dodi Fayed era diminuta

Mas aconteceu e eu nem queria acreditar; e o Sr. foi uma simpatia. E uma pessoa perde-se nestes armazéns; Harrods, I love it!

Mas que fashion

Uma manhã meia simpática mas que logo se transformou com uma chuvinha jeitosa e um look fashion...sei lá....

Hoje foi mau

Tivemos um grande quid pro quo aquando da chegada a casa. Ainda nem sequer lhe tinha tirado o casaco e posto a minha roupa de casa, já ela estava aos gritos a pedir torradas!? Não sei de onde tirou esta ideia, mas como é óbvio, antes do jantar se quer comer, come fruta...mas não, gritou, berrou, apanhou-me ao telefone e deu-me um safanão nas costas. Bem, rodei a baiana e zanguei-me muito a sério até porque já estou farta de a avisar que não lhe admito faltas de respeito; sou uma mãezona, faço das tripas coração para não lhe faltar nada, mas não deixo de ser a Mãe. Curiosamente nos dias em que me zango a sério, em vez de se isolar, ainda clama mais por colo e carinho e tento não lhe dar confiança nos primeiros momentos, pois tem que perceber que fico magoada com estas más atitudes. Lá passou, pediu desculpa, lá lhe disse que as desculpas estavam pedidas, quanto à sua aceitação...iria demorar o seu tempo...foi breve. Mas logo de manhã começámos mal o dia; é de uma vaidade com

Hummm.....e Kitaba!?

Tenho que ir a casa do meu avô, que costuma lá ter esta iguaria. Mas que desejos estes estranhos que me assolaram hoje!

A começar a preparar o 1º sacramento da minha criança

Não o fiz na altura mais óbvia, quando era mais pequenina, pois acho de extrema importância que perceba minimamente o que este sacramento significa para ela e que tenha já cimentada uma relação com os padrinhos. Por outro lado, como eu própria fui baptizada aos 4 anos, faço gosto que ela leve o meu vestido, daí ter chegado a altura de prepapar a cerimónia. Não me agrada particularmente a ideia de levar os convidados para um restaurante, mas tenho que começar na prospecção de mercado, talvez opte por uma festa organizada com catering e decoração ao meu gosto e aproveitar a casa magnífica dos meus primos, festa à beira da piscina...sem stress e sem o risco de termos outras festas vizinhas, confusões de fotografias, etc. Portanto agora vou andar entretida com a preparação do baptizado (que ainda não pensei em datas) e dos anos dela, para daqui a pouco mais de 4 meses. Ufa....

Gosto tanto destas saias

E nos escassos anos em que o meu corpo ainda o permite...esta já cá canta no meu closet :)

E continua a matar-me (o Sr. de la Renta)

Comigo já a pensar no 4º aniversário da minha princesa: Que coisas mais lindas; depois daquele fato do Natal de 2012 e que foi a primeira peça de griffe a sério da minha cria, os meus olhos pendem para estas coisas....e pensar que há coisas na vida tão mais importantes do que o dinheiro, mas que são tão caras :) Confesso, perco-me com a colecção de criança deste senhor.

Tenho um amigo

Que é das poucas pessoas que admiro verdadeiramente, e que é sem dúvida uma lição de vida. Já falei sobre ele algumas vezes...e falarei porque é mesmo uma pessoa formidável. Numa recente troca de palavras disse-me já sentir falta de falarmos descontraidamente, e que conversas profundas já tivemos. Das nossas vidas, sonhos, projectos, falhanços...é um vencedor. A última dele, depois de já ter trabalhado por esse mundo fora, desde agências noticiosas passando pela empresa onde hoje trabalho, ter um curso de Gestão tirado na Alemanha, um incursão em Relações Internacionais e Direito, uma licenciatura em Filosofia na Católica, agora vai tirar História e enquanto a saúde o permitir, duvido que pare. É espectacular este ser humano.

Este Sr. de la Renta mata-me

É que eram já aqui para mim, e eu ia ficar tão contente; Honeeeeeyyyyyyyyyyyyyyy!

Camisolas giras

Hoje à hora de almoço fui até ao shopping ver as vistas, e perdi-me na Zara Kids com as coisinhas novas; trouxe umas camisolinhas para a Bébécas, tão, mas tão giras, que já partilho uma delas que tem um coelhinho com o respectivo pompom. Ok, a mãe não é de ferro e vieram umas calças assim todas padronizadas; estou a fugir à rotina, venham os padrões :)

À paixão pela Doutora Brinquedos

Juntámos agora esta família de monstros; de tão feios tornam-se tão fofos.

Shopping

Comprei no outro dia este vestido que achei uma delícia, mimoso, assim queridinho. Chegou ontem - mas é curto que se farta. Eu sou uma pessoa decente, sei andar de calças, de saias e de saias curtas, mas mais um palminho de comprimento e não se perdia nada. Será que ainda tenho corpo para estas coisas!?

Ia partindo o meu dedo mínimo#doeu :(

...mas ao que parece está inteiro!

Aos 36

Chegada aos 36 anos, sinto que já aprendi umas coisitas (coisa pouca é um facto, mas qualquer coisa já cá canta) e ainda tenho tanto para aprimorar, para conhecer, para descobrir. Nunca sabemos quando tempo de vida nos resta, mas não queri deixar de ter essa vontade em aprender. Não tenho lido livros a sério, que era uma caracteristica minha, tenho tentado, mas os resultados não têm sido positivos, ainda me falta uma ou outra ideia no lugar, mas ocupo-me ultimamente por saber mais sobre certas personalidades históricas; na semana passada andei a estudar Indira Gandhi, o seu filho, as suas políticas, etc. E por isso dá-me um gozo enorme falar com pessoas que sabem verdadeiramente, com as quais é fácil argumentar, questionar, discutir e aprender - por isso o meio académico a este nível me faz cada vez mais falta. Prezo-me por ter uma selecção de amigos com os quais dá para manter conversas destas, chamem-lhe metafísicas, filosóficas, jurídicas ou históricas - e são amigos masculino

A minha filha ontem teve uma ideia ;)

Oh mamã, quando é que me vais ensinále a andar nos meus patins? Lá lhe disse que assim que estiver menos frio, capacete na cabeça, restantes adereços e vamos aprender num sítio calminho para depois irmos para o calçadão (ok, chamam-lhe paredão, mas eu acho que é muito mais IT dizer calçadão de Carcavelos, eheh). Veio a fase seguinte: Oh mamã, mas....e os teus? Lá lhe disse que não tenho patins em linha, tenho uns desde miúda que ainda me servem que a minha avó me trouxe da África do Sul, mas com as 4 rodinhas da praxe; verdade verdadinha, já nem me aguento nuns patins. "Imposição" da cria: oh mãe, compra para ti, vá lá, quélo andar contigo. Portanto, quem nos quiser encontrar no Verão, é procurar duas dondocas a patinar em estilo fress style ali para os lados de Carcavelos, Santo Amaro e afins... Por isso queremos tempo mais quentinho, please, please.

Então e o requintada que ela agora está:

No seu cada vez mais fluente discurso quando faz asneira remata com um:  - Peço imensa desculpa. Quando quer alguma coisa:  - Por favor mamã, pode ser!? Quando inicia alguma actividade (desde pintar um livro, até ir à retrete - vale tudo)  - Vou fazer isto com segurança. E quando tem a noção que até se portou bem, e me "quer cantar o fado" para usufruir de alguma coisa:  - Mamã, eu não fiz dispaiátes!

Hoje ao almoço

Estava eu a preparar-lhe a refeição, a aquecer a sopinha, o prato principal já estava pronto e pergunta ela:  - Essa sopa é para mim!? E eu respondi-lhe que sim, também... Ao que ela anuiu:  - Não me parece uma boa ideia! Definitivamente a "formiga já quer ter catarro" e com 3 anos e meio está a sair-me melhor do que a encomenda. Como a vulgar democracia começava a não resultar connosco, porque tinha uma catraia a querer contra-argumentar de mulher para mulher, resolvi instaurar a democracia cá de casa, com regras próprias. Neste tipo de coisas não dou resposta, apresento-lhe o que tenho que apresentar sem comentários; e ela comeu e repetiu. Fantástico.

1974-2014 (25 de Abril - 40 anos)

Desde cedo que em casa se falou de coisas interessantes e muito cedo me foi contado por quem o viveu cá, e numa colónia portuguesa o 25 de Abril. Depois vieram os programas escolares, a necessidade em saber mais, os trabalhos, e lembro-me que devia andar para aí no 11º ano quando se perfizeram os 20 anos do 25 de Abril, havia um programa na televisão intitulado "20 Anos, 20 Nomes" se não estou em erro. E enquanto alunos fizemos reportagens, teatralizações, adaptações do Grandola, Vila Morena...vivemos aquilo muito a sério e contámos com a ajuda e colaboração dos nossos pais que viveram in loco a revolução. E agora já vamos nos 40 anos; quem sabe daqui a 10, quando se comemorarem os 50 anos, não vá eu ajudar a minha Bébécas num trabalho sobre o mesmo tema.

Chegar a casa e ter este miminho à espera

Fez-me sorrir; o meu Honey tem destas coisas. Não ligamos a estes dias em termos de consumismo exacerbado, mas como diz Caetano "um carinho às vezes cai bem". Gostei muito querido.

Papa diz a casais que não existe "a sogra perfeita" - Globo - DN

Papa diz a casais que não existe "a sogra perfeita" - Globo - DN Este Papa é o máximo, sempre as palavras certas. Não há pessoas perfeitas; mas há particularidades intoleráveis, e infelizmente a maldade e a mentira quando impera no contexto familiar é difícil de gerir. Quanto às sogras, é como tudo. A mãe do Honey é das pessoas mais queridas que conheço e o carinho, atenção e preocupação que tem para com a minha filha com quem não tem sequer laços de sangue, deixam-me comovida. A Bébécas trata-a por avó A. e sem dúvida que temos ali uma grande amiga. É daquelas pessoas que aconteça o que acontecer nos tem dado sempre muito carinho e dedicação e isso não tem preço.

Com a avó

Um destes dias, a fazer as traquinices do costume em casa da avó decidiu brincar às escondidas. A avó estava na cozinha a tratar de qualquer coisa na bancada e ela, do lado de fora abria e fechava a porta, insistentemente. A avó, já farta de ouvir a porta a bater diz-lhe assim:  - Oh Bébécas, não faça isso com a porta porque esse barulho já está a incomodar a avó. E ela continuava... E a avó:  - Bébécas!!! Já estou farta de ouvir a porta...aiaiaiaiai Remata a minha cria:  - Óh vózinha, mas como é que tu já estás cansada de ouvile a póta se a póta não fala!?

O nevoeiro

Ontem, quando já estávamos juntas ao final do dia a caminho de casa, comenta assim a minha filhota:  - Mamã, não vejo nada, não consigo vêle! Deu-me vontade de rir o ar espantado da minha cria, mas lá lhe expliquei que estava nevoeiro, porque está muito mau tempo e que por isso não víamos tão bem.  - Mamã, mas eu não consigo vêle; é dos meus olhos? Têm dói-dói? Lá a descansei, disse-lhe que eu também não estava a ver bem, mas que não era dos nossos olhinhos, mas sim do tempo que estava "triste"; e por vezes quando o tempo está triste, fica assim, nevoeiro.  - Ahhhhh, o nevoeilo é o dói-dói do tempo mamã? Estas saídas amiúde da minha filha deixam-me babada; porque é atenta, porque gosta de aprender, é curiosa e tem imensa piada. Por outro lado, eu, como típica portuguesa, continuo a achar que ali para os lados do Cais do Sodré ainda é capaz de aparecer o (D.) Sebastião e é inevitável não me lembrar de um episódio numa noite típica londrina em que achei que estava

"Utopia Urbana"

Ao ver a reportagem da SIC sobre a cidade de S. Paulo e o Copan do Niemeyer e lembrei-me da "Utopia Urbana" do Gilberto Velho. Um estudo fabuloso sobre um edifício específico em Copacabana e todas as clivagens sociais e antropológicas relativas aos indíviduos que nele habitavam. A par do estudo sobre o Samba e o Funk, foi das áreas que mais gozo me deu trabalhar nas disciplinas de Antropologia que estudei na minha licenciatura.
Hoje foi daqueles dias em que a minha pequena me deu imenso trabalho para jantar; não foi dos dias mais demorados, de todo, mas zanguei-me, aborreci-me e podia ter sido tudo tão mais rápido. Missão cumprida, comeu tudo e acabou com aquele sorriso maravilhoso nos lábios.

Pessoas menos bonitas (mas que também são criações de Deus)

Sempre que olho para o actual Secretário de Estado da Cultura, o Sr. faz-me lembrar qualquer coisa entre um sapo e uma iguana com óculos:
Na semana passada fomos jantar fora e escolhi uma grelhada mista, com o intuito de deixar as salsichas para a minha pequena. Estava óptimo, até costeleta de borrego tinha. O arroz de ervilhas estava óptimo, mas sua excelência embirrou que "não gosta de ervilhas". Que fase esta do "não gosto"; na realidade ela parece só gostar de esparguete e salsinhas e ovo e por sua vontade apenas comia isto a todas as refeições. Tem sido uma semana cansativa, a minha irmã só teve alta hospitalar ontem e confesso que fui fazendo coisas que sabia que não me iriam dar muito trabalho para que ela depois comesse. Mas hoje, já andava para aqui a matutar que o jantar tinha que conter ervilhas ! Fiz-lhe um creme de legumes com as ditas; a primeira reacção foi:  - Não gosto disso. A segunda:  - Não vou comer isso. A terceira já me coube a mim:  - Vamos lá a jantar se não queres que a mamã fique triste contigo, aiaiai. E lá correu bem, e a rapariga até se lambeu com o cr

E a minha sobremesa foi...

Um magnífico crème brûlée. E que bem que soube!

Arrisquei

E pus a máquina da roupa a lavar; os collants, as cuecas e afins da minha filha já não tinham fim; à razão de pelo menos 2 pares de cada, por dia só dela, daqui a nada tinha que ir comprar reforços. Vamos ver em quantos dias me vai secar a roupa :(

Minha querida corrente de ar

Um dos meus hábitos em casa, desde sempre é quando saio, deixar as janelas todas abertas de par em par, o ar a circular, portas dos quartos, sala e casa de banho abertas...para quando chego a casa me cheirar a ar puro. Não há melhor ambientador, sem dúvida. Mas com este tempo dos últimos dias, já há pelo menos 3 dias que não o faço, e com o aviso de "furacão) até os estores baixei. Chego a casa e sinto o mais ínfimo odor; este meu olfacto, apesar das gripes e alergias é dos meus sentidos mais apurados de facto. Desde o cheiro a banho, aos produtos do cabelo da minha filha, ao cheiro da ração das coelhas, necessidades que vão fazendo, do jantar do dia anterior...a chuva faz imensa falta, mas o temporal não. Que parem os avisos laranja para eu arejar a casa e espantar os maus espíritos :).

A falta de juízo da malta jovem

Põe-me doida. É um facto que a minha small sister tem "apenas" 25 anos, caramba, mas eu com a idade dela já tinha a minha casa, era responsável por uma série de coisas. Vai ter finalmente hoje alta hospitalar, continuamos sem saber o que realmente a ensombrou, tanto que há resultados de exames que apenas estarão disponíveis no dia 24. Conseguiram controlar a febre e está em condições de convalescer em casa; ok. Pois que quer sair do hospital e ir comer ao McDonald's. Eu passo-me com isto; sai de um cenário de dieta, problemas ao nível do fígado e não só e por vontade dela atirar-se de seguida a junk food sem dó nem piedade. Esta gente droga-se com ópio logo às primeiras horas da manhã, só pode. Se quiser vai a pé; co-responsável por tamanha estupidez eu não serei. Tenho dito.

Madeira tem o nono aeroporto mais perigoso do mundo - TSF

Madeira tem o nono aeroporto mais perigoso do mundo - TSF Confesso que na aterragem não senti grande coisa, porque cheguei lá de noite e achei que exageravam; atereou-se tão bem. Nos dias seguintes enquanto passeava pela ilha e me apercebia da dimensão da pista e onde aquilo ia desembocar, confesso que fiquei com respeito. E a descolagem, sendo para mim o momento mais crítico de um voo, uma vez que foi feita ao início da manhã...digamos que não perdi pitada; e aquela montanhita em frente e o mar ali ao lado....mas não entreguei a minha alma à divina providência nesse dia, até correu bem.

Se calhar por ouvir o vento forte lá fora

E ter um amigo que aterrou há pouco em Lisboa e dizer que sentiu um cagaço do caraças, apetecia-me satisfazer um desejo de adolescente...passar assim uma semanita num porta-aviões. daqueles bem grandes em que nada falta, enfim, este deve ser daqueles sonhos impossíveis de realizar.
....o facto é que, embora disfarce, estou com uma tremenda dor de cabeça, má disposição generalizada, tonturas, vómitos. Foi uma semana brutal e não estava à espera que acabasse assim com a manota internada, hoje tive umas gravações audiovisuais para fazer relacionadas com a minha empresa, com cara de enterro e um sorriso forçado e com uma imensa vontade de fugir. Falta-me o sorriso da minha filha para me compensar um pouco tudo o que de mal correu.
À hora de almoço lá fui até ao hospital visitar a minha manita, continuamos sem grandes respostas, contudo presume-se que seja algo viral, portanto menos grave do que estávamos à espera, mas ainda não é o diagnóstico final. Continua internada e caso a situação se mantenha volta a repetir todos os exames na segunda-feira. Taduxa. Deprimente foi entrar naquele serviço de Medicina IV, só ver idosos moribundos com pelo menos 3 vezes a idade dela, e uma rapariga de 25 anos ali toda espicaçada. Como nestas situações o meu sistema nervoso estupidifica, embirrei que a velhota do lado já está a passar a luz e já a avisei para controlar a respiração da senhora - porque aquilo está para breve. Ok, não tem piada, mas ela riu-se. Menos mal!

A parte cómica e surreal do dia

A páginas tantas a minha colega da recepção passou para mim uma chamada de um Sr. que necessitava do contacto telefónico de uma empresa nossa sub-contratada no norte do país. Por não ser comum nem expectável eu dar esse contacto, questionei-o qual o assunto e sendo eu responsável por essa área, em que poderia ser-lhe útil. Diz-me o homem assim:  - "Ah, é que eu trabalho numa empresa mesmo ao lado da vossa e aconteceu-me um problema e preciso de ajuda...a senhora está no Porto?"  - Não - disse eu, estou em Lisboa, mas em que sentido necessita da nossa ajuda? - longe de mim imaginar o que estava para vir.  - "É que eu estou aqui mesmo ao lado da vossa empresa e fiquei preso dentro da minha carrinha e não consigo sair, e era para ver se alguém podia vir aqui tirar-me de dentro da minha carrinha." Confesso que me deu vontade de rir, ao mesmo tempo que lhe ditava algarismo a algarismo o número de telefone de um colega e grande amigo que estava nesse local, ti

Hoje aconteceu de tudo...

...desde o cómico e insólito que abordo num post à frente, até à devastadora notícia de que passados estes dias em que as idas da minha small sister à urgência se intensificaram e que culminou hoje, com o internamento. Fui com ela no sábado passado, a parva da médica, para não dizer outra coisa disse-lhe que era gripe e que mais 2 dias estaria "fresca e fofa". Estranho porque a rapariga não tossia, não tinha obstrução nasal nem dores de garganta, mas sim febre e dores nalguns orgãos abdominais, mas tudo bem, eu estudei Sociologia, a minha mãe Educação Infantil e Piano, portanto...eles lá sabem. Mas as coisas continuam e na 2ª feira, passadas uma série de horas na urgência do hospital, o idiota do médico que a consultou (para não lhe chamar no mínimo porco-espinho) inventou que ela estava com uma infecção urinária; ok, a rapariga não se queixava da uretra nem tinha sintomas associados a uma infecção dessa estirpe, mas tudo bem...mais uma vez, eles lá sabem. Hoje, 3 dias
Xiiii, é nestas alturas em que uma pessoa se apercebe de que a vida passa num piscar de olhos. Faz hoje 16 anos que obtive a minha carta de condução. E para o ano faz 20 anos que eu entrei para a faculdade. Meu Deus, foi ontem....e ao mesmo tempo já passou tannnnto tempo.
A "Naínhas" desapareceu, a mãe deixou de ser mestiça e virou branca como a cal da parede, a cria com cara de parva e boca à banda, fazer o percurso ao contrário, olhar para o chão que nem uma tonta, voltar atrás e à frente e para o lado, remexer pela segunda vez a casa e lá estava ela enrodilhada no edredon. Pela segunda vez em pouco tempo é demais para o meu coração.
Já passei há uns bons meses atrás pela fase em que a minha filha ao olhar para mim via:  - Um biberon suculento de leite Também viu e vê:  - A Wonder Woman que a salva dos sonhos terríveis com a bruxa malvada Começa a ver-me:  - Como a detentora de um cartão de plástico que passa numa pequena máquina e ela já pode trazer o que "escolheu" Não falha:  - A bruxa que lhe penteia o cabelo e que é má porque supostamente não é preciso pentear o dito Mas ao mesmo tempo:  - A mamã lindinha que lhe dá mimos, e trata dela, e põe os cremes, e os perfumes e que a deixa que nem uma princesa Das últimas:  - A mãe que tem o maior carro de todos, e o carro mais lindo de entre todos os amigos (ahahahahah, um Twingo de 2003) E culminamos:  - Em achar-me parte integrante de um parque de diversões; escala-me, faz-me cócegas, depois exige cócegas, cavalitas, baloiço humano, roda, malabarismos e pura adrenalina E eu divirto-me à brava, rio-me mais que ela, mas depois fic

O Amor é...

Chegar a casa, tentar pôr as coisas em ordem, começar a aspirar e de repente, o aparelho como que, por artes mágicas, desligar-se; olhar para trás e ter a minha menina a olhar para mim e dizer assim: Mamã, quero dar-te um beijinho e fazer-te uma festinha. Termina o episódio com o "mamã, és tão lindinha", volta a ligar-me o aspirador e vai a cantarolar pintar os livros.

Hoje, no dia em que se comemora a Luta contra o Cancro

Penso em tantas pessoas que sofrem sem solução à vista, naqueles que não desistem, mas também naqueles a quem vão faltando as forças; na coragem, na superação, na esperança. E o meu coração está também junto da minha avó, que passados 15 anos e meio continua a estar tão presente em mim, na minha vida e de quem tenho tantas saudades.

Ontem à noite desgracei-me

Dei o jantar à minha filhota comme il faut, com o não quero do costume mas depois lá foi comendo até ao fim, voltar a arranjar-me para ir fazer uma boa acção, ou seja, ir buscar a minha irmã ao hospital, pois teve que lá passar parte do dia (toda inflamada coitada) e voltar a "correr" para casa para não atrasar muito mais a hora de deitar da pequena. Não me apetecia alinhavar jantar para mim, passei no Mac e lá foi o Big do costume. Comentário da cria mal me acerco do McDrive:  - Vamos jantar ao Maquedónáde???  - Tu já jantaste, lembras-te? E lembras-te que fizeste fita porque disseste que não querias jantar e não tinhas fome? Agora queres junk food? Pois lamento, mas a menina já jantou. Claro que lhe ofereci do meu jantar o que ela quisesse (esperando que não aceitasse pois não me agrada que coma destas coisas), e de facto ela não quis. Ufa, menos uma asneirita para ela e mais uma para a mamã.

Por vezes sou literalmente caçada

É um hábito que tenho desde sempre ir à caminha dela algumas vezes durante a noite para ver se está tudo bem; aconchegar-lhe a roupa, tapá-la quando é caso disso e dar-lhe os beijinhos, todos aqueles que tenho guardados para ela. Cada vez mais aquela respiração forte e o ressonar intenso me fazem crer que não se livra da famosa operação aos ouvidos e ao nariz, mas se for apenas isso, digamos que existem males piores. Em breve vou marcar uma consulta para o que foi meu Otorrino e me resolveu os problemas inerentes há tantos anos atrás, o Dr. Carlos Ruah e que agora verá a segunda geração. Bem, a noite passada para não variar lá fui eu, e voltei a notar a respiração forte, o que me deu a entender que estaria ferrada no sono...mas não estava. Eu ali com todos os cuidados, pé ante pé, quando me aproximo vislumbro uns olhos enormes abertos, a que se seguiu a súplica para eu ir dormir com ela. À súplica seguiu-se o berreiro, agarrou-me pelo pescoço e não me deixava sair dali. Ok, foi

Maníacos das limpezas vs pessoas com graves problemas de organização

Para não ter que dizer "pessoas porcas". Ao fazer um pouco de zapping à tarde, porque isto de ser a menina Bébécas a monopolizar a televisão com os desenhos animados vai ter um fim trágico para ela (porque tudo o que se torna vício é para mim negativo e pernicioso), fui parar creio que ao canal TLC e não consegui desgrudar. Então deparei-me com um programa em que pessoas super asseadas e organizadas, entram nas casas daquelas pessoas que acumulam todo o lixo possível e inimaginável (acumuladores) e tentam pôr ordem na capoeira. Nunca tinha visto tanta porcaria, desorganização; eu, por muito altruísta que seja, não era capaz de ir limpar tamanha porcaria. Pois que aqueles maníacos das limpezas, em 4 dias conseguem transformar uma lixeira, num local onde se pode viver, limpo, cheiroso e desinfectado. Adorei. O que me espanta é que aquelas pessoas não tenham vergonha de mostrar as suas casas naquele estado de sujidade e de acumulação de lixo.

A semelhança entre

As minhas amígdalas e os nenúfares é assombrosa. Vejamos: imagine-se um lago decorado por magnificos nenúfares; por cima de um deles uma rã, querida e fofinha que depois se põe a saltitar de nenúfar em nenúfar - maravilhas da natureza. Ora bem, as minhas amígdalas são de uma natureza não tão bonita como os nenúfares, inoperáveis, o que me tem causado vários problemas desde sempre. Têm umas crateras, e o estreptococo aloja-se lá (a rã) e vai saltitando de uma para a outra, conforme lhe apetece. Estou nessa fase; ora está na direita, ora na esquerda, saltita, incomoda, causa dor e desconforto. Ah e tal, operar, estou farta disto...os senhores doutores dizem que nem pensar. Portanto vou ter que as aturar e elas a mim até ao fim dos meus dias. ...muito mais giras as rãs e os nenúfares.

Embora note uma certa acalmia

O facto é que a fase das birras ainda cá está....e estará. Hoje é daqueles dias em que não estou com a mínima paciência e ela anda a querer atravessar-se comigo desde manhã. Estou a tentar ignorar para não ter que me chatear a sério, mas tenho aqui uma menina que gosta de provocar e depois fica de castigo e não gosta!

Acerca do Dux

Nao creio que seja correcto culpabilizar apenas aquele idiota por tudo o que se passou no Meco. Por muito que custe aos pais dos falecidos, tambem eles sao culpados, mas a vida foi-lhes terrivelmente ceifada. Mas a ser verdade que estavam com as pernas amarradas e de costas para o mar, a brincadeira para mim fica no limiar do homicidio por negligencia, para nao ser pior.