Avançar para o conteúdo principal

1974-2014 (25 de Abril - 40 anos)

Desde cedo que em casa se falou de coisas interessantes e muito cedo me foi contado por quem o viveu cá, e numa colónia portuguesa o 25 de Abril.

Depois vieram os programas escolares, a necessidade em saber mais, os trabalhos, e lembro-me que devia andar para aí no 11º ano quando se perfizeram os 20 anos do 25 de Abril, havia um programa na televisão intitulado "20 Anos, 20 Nomes" se não estou em erro.

E enquanto alunos fizemos reportagens, teatralizações, adaptações do Grandola, Vila Morena...vivemos aquilo muito a sério e contámos com a ajuda e colaboração dos nossos pais que viveram in loco a revolução.

E agora já vamos nos 40 anos; quem sabe daqui a 10, quando se comemorarem os 50 anos, não vá eu ajudar a minha Bébécas num trabalho sobre o mesmo tema.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Portugal, aquele tal Estado laico que nos enfia pelos olhos e pela alma dentro os desígnios da suposta fé Católica

 Eu aprecio o Papa Francisco e respeito quem tem fé, quem acredita. Deus pode ser adorado de várias formas, mas o fausto e a sumptuosidade da Igreja Católica não são de todo o que vem nas Escrituras. E defendo que cada vez mais deveriam eclodir os valores da humildade e do amor ao próximo e sobretudo canalizar a riqueza para onde ela é mais necessária. Sejam verbas da Igreja, dos fiéis ou do Estado, e nesse Estado também entro eu, acho vergonhoso o aparato que tem uma jornada destas. A sua essência é um bluff.  Sejam jovens, adultos, ou idosos, a clara maioria dos envolvidos nesta epopeia não vale nada, não faz nada para que a sociedade em que vivemos seja melhor. Porque pouco faz no seu “quintal”, para com as pessoas com que se cruza, para com o vizinho do rés do chão, para com a/o namorada/o que dizia amar como jamais amou alguém e no dia seguinte, o melhor que tem para dar é…ghosting; para com os avós, os tios, os pais…ou um desconhecido que precisa desmesuradamente de ajuda. As cri