Avançar para o conteúdo principal

Hoje foi mau

Tivemos um grande quid pro quo aquando da chegada a casa.

Ainda nem sequer lhe tinha tirado o casaco e posto a minha roupa de casa, já ela estava aos gritos a pedir torradas!?

Não sei de onde tirou esta ideia, mas como é óbvio, antes do jantar se quer comer, come fruta...mas não, gritou, berrou, apanhou-me ao telefone e deu-me um safanão nas costas.

Bem, rodei a baiana e zanguei-me muito a sério até porque já estou farta de a avisar que não lhe admito faltas de respeito; sou uma mãezona, faço das tripas coração para não lhe faltar nada, mas não deixo de ser a Mãe.

Curiosamente nos dias em que me zango a sério, em vez de se isolar, ainda clama mais por colo e carinho e tento não lhe dar confiança nos primeiros momentos, pois tem que perceber que fico magoada com estas más atitudes.

Lá passou, pediu desculpa, lá lhe disse que as desculpas estavam pedidas, quanto à sua aceitação...iria demorar o seu tempo...foi breve.

Mas logo de manhã começámos mal o dia; é de uma vaidade com a roupa, que com a pressa que as primeiras horas da manhã exige, perco a paciência para discutir que afinal não vai a camisola que de véspera tinha posto de parte e iria uma t-shirt num dia de dilúvio.

Ok, as meninas são assim, mas eu com a idade dela não era. E se leva All Star entende que eu devo ir para o escritório de All Star e mais ainda, embirra que também quer ir para o escritório.

E pergunta se está bonita, pede para ir ao espelho...estou a criar um(a) Dorian Gray ou quê???

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Quem me Leva os Meus Fantasmas"

Tive oportunidade de ver há dias uma entrevista com o Pedro Abrunhosa (músico de que gosto bastante pela sua atitude e mensagens que passa) em que ele dizia que as suas músicas/letras são o reflexo das suas catarses, de situações que o perturbam, ou que lhe agradam e que ele tem que extrapolar para o exterior. Achei engraçada a analogia, pois com o sentido de humor que lhe é característico refere que é uma maneira de não perder tempo e dinheiro a ir ao Psiquiatra, entretém as pessoas e ainda lhe pagam para isso. O filósodo Lou Marinoff, brilhante também, como forma de evitarmos a cadeira do analista propõe-nos "Mais Platão, Menos Prozac". Concordo com ambos. E aqui deixo uma letra fabulosa de Pedro Abrunhosa, que transmite muitas das certezas e incertezas da minha existência, e foi também a seu tempo a banda sonora de eleição de uma anterior relação por mim vivida. Quem Me Leva os Meus Fantasmas "Aquele era o tempo Em que as mãos se fechavam E nas noites brilhantes

Esta miúda que por sinal é minha filha...

 Estava eu a aspirar a casa e ela decidiu observar-me(nos). “Mãe, esse aspirador é do Rei dos Aspiradores. Não sabia que o aspirador de cá de casa era desses. Não devias dar dinheiro a esse homem mãe.” Nem comentei, nem tão pouco estou com presença de espírito para tentar perceber que cenas escabrosas a respeito do tal senhor que era o “manda-chuva” da Rainbow chegaram aos ouvidos da minha filha. Está a ser muita mudança para a minha cabeça. A miúda está mesmo a crescer...a galope e eu, começo a ficar para trás. Maldita idade...a minha! A dela, recomenda-se, mas de preferência com menos audácia e argúcia.