Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2016

Podia ter sido pior...

Ritual pós Natal

Os brinquedos novos preferidos vêm passar comigo o dia, ficam no carro, porque antes foram fazer um visita aos amiguinhos do colégio. Isto porque ao querer levá-los para brincar com os outros meninos, já lhe estragaram ao longo dos anos uma série de bonecas!

Não tenho dúvidas de que não há dor maior do que a de perder um Filho

E hoje, uma mãe que conheço perdeu o seu filho. É com profunda tristeza que vemos partir um jovem com 30 anos, que aparentemente ontem estaria bem e hoje...não acordou. Quero acreditar que apesar de tudo foi em paz e que seguirá o seu caminho de luz, pois a imagem que deixou foi mesmo a de um bom rapaz. Para a minha irmã que tinha por ele uma profunda amizade deixo-lhe palavras de esperança, e que de facto, uma amizade  tão forte não acaba assim, vai muito além da matéria. É um dia triste e o meu pensamento está com esta família.

O desconhecimento enternecedor

Depois da mãe começar finalmente a conseguir aguentar-se em pé, pois foi alvo de uma gripe das antigas, daquelas que levam à urgência, daquelas em que se fazem exames para despistar coisas mais graves e que ainda assim se sai de lá com receitas de antibiótico, pois para além do vírus, se tem em cima uma infecção respiratória, deu-se o regresso à vida activa. Começar a fazer as fichas que a professora mandou e, dado o volume de trabalho para umas mãos tão pequenas, vamos lá ver se ainda conseguimos concluir tudo a tempo, sem termos que nos fazer valer da ajuda do tempo, nos tempos livres no colégio - apesar de tudo isso estar incluído no que pago, não há absolutamente nada que pague uma mãe também poder dedicar algum do seu tempo a monitorizar os trabalhos de casa dos filhos, trabalhar com eles, incentivá-los, ajudá-los. Pois que estava a ler palavras escritas com a letra "L" e depois tinha que fazer corresponder às figuras que tinha na ficha; eis se não quando eu oiço alg

Queen & George Michael - Somebody to Love (The Freddie Mercury Tribute C...

Sem comentários....

A Solidariedade Social vista por uma criança de 6 anos

Ontem levei-a comigo ao supermercado para fazer umas compras rápidas; coloquei as compras no saco, paguei e já nos dirigíamos para a saída quando ela me diz: Mãe, hoje não deixamos o saco com os alimentos para as pessoas que têm fome!? Lá lhe expliquei que as acções no Banco Alimentar só funcionam nos supermercados 2 vezes por ano, por forma a se conseguir um acréscimo de dádivas, mas que existem outras acções ao longo do ano e com outros parceiros que permitem levar alimentos a quem deles mais precisa. Não ficou muito convencida que se reúnam assim tantos alimentos fora das acções nos supermercados e comenta em jeito de conclusão: "Será que as pessoas nos outros dias têm menos fome!?"

E como um sorriso também pode valer mais do que mil palavras...

Venham os da época festiva de 2016, para mais tarde recordar!

Uma pessoa percebe que já não tem 20 anos quando

Um serão de borga que até acaba cedo (2 da madrugada), seguido de uma noite mal dormida porque a criança acorda a chorar 2 vezes e tem febre, origina a que eu esteja a esta hora com os olhos a querer cerrar e eu a não deixar e estar ao mesmo tempo a fazer um esforço sobre-humano para me manter acordada sem fazer grandes ondas.

About last night - Tamariz

A fase do "Mãe, preciso de dinheiro!" já começou

Pensava eu que o boom seria mais na fase da pré-adolescência e afinal fui apanhada na curva na infância. Creio não haver nenhum dia, Santo ou não, em que não haja um extra: ora é o bilhete para o espectáculo que vai ver  com o colégio, ora porque vai haver uma peça de teatro na escola e eles é que pagam, ora para o cabaz de Natal da família necessitada, ora acabou a cola, ora gastou o lápis, ora partiu o afia-lápis, festa(s) de anos, estragou o chapéu-de-chuva, fotografias de Natal, etc., etc., etc., e....é uma autêntica torneira avariada sempre a pingar. Não é mesmo nada fácil.

Côres de Outono

Balanço do dia de ontem

Foi um dia com momentos muito bons e felizes; os melhores de todos, principalmente a mensagem da praxe da minha mãe pouco passava da meia noite e o beijinho espontâneo de parabéns da minha filha, de sorriso rasgado, logo depois de acordar. O dia era meu, mas preferi dá-lo a ela e levá-la a um local novo; rumámos a Coimbra e visitámos o Portugal dos Pequenitos. Lembro-me que lá fui pela primeira vez sensivelmente com a idade dela, e achei aquilo gigante e a sensação para ela foi igual, adorou. Não podia ter melhor prenda pelos meus 39 anos, do que proporcionar ainda mais sorrissos à minha filhota.

Queen - '39 (live 1979) - Diz que faço 39

E nada melhor do que esta música maravilhosa :) Parabéns a mim!

Os miúdos em geral estão desaustinados e mal educados

Educar uma criança está longe de ser fácil, e eu que o diga, pois sou mãe de uma criança peculiarmente difícil. É um doce de menina, meiguinha, generosa, inteligente, mas tem um lado menos bom, perturbador. Teimosa, obstinada, tem a fama e também o proveito de resolver os problemas dela sozinha, nem sempre da melhor forma, pois dada a tenra idade lhe falta ainda a assertividade e a presença de espírito que muitas das vezes se impõem. Resumindo, a minha filha tem alturas em que é mesmo muiiiiito chata, mas depois, no minuto a seguir é uma princesa - a conjugação de genes ao nível de feitio, não foi de facto a melhor. De qualquer modo, sabe distinguir o certo do errado, sabe quando erra e tenta melhorar e corrigir os aspectos menos bons, ainda que facilmente se esqueça e andamos para trás e para a frente regularmente. Mas ao falar com a Professora se por um lado fiquei mais tranquila, por me ter dito que é uma miúda com valores e educação de berço, por outro fiquei preocupada ao

Tem sido de facto uma semana atarefada

Não me posso queixar do trabalho, pois é sempre bem vindo, mas parece que esta semana se concentraram os problemas todos e impôs-se uma pressão muito superior à das semanas anteriores, sendo que, as semanas anteriores também não têm sido fáceis. Pois que eram 7.40h da manhã, um frio cortante e lá ia eu a caminho do escritório número 2 para um dia de trabalho duro - mas então não era feriado!? Para não estar a incomodar os seguranças que nestes dias deixam a garagem fechada e só a abrem caso apareça alguém, lá deixámos o carro no estacionamento de fora, feriado é grátis, por isso, tudo tranquilo, mas o pior devaneio de todos os tempos, os cafés e pastelarias do costume - fechados! Nada de frescuras, trabalhar como se não houvesse amanhã, eis se não quando pelas 11 e pouco a fome e a fraqueza já inundavam o meu ser; impôs-se a aventura de encontrar um sítio aberto para comer. E havia, e até comi coisas boas que terminei com uma tarte de lima com base de bolacha oreo, mas de facto

Desesperante

Hoje, achei que com o tempo que demorei ontem a chegar a casa, iria ser maias fácil. Qual quê - 48 minutos cronometrados para percorrer qualquer coisa como 3kms; não sei o que se passou, estava a hiperventilar outra vez, a sonhar com o teletransporte. Bolas, não consigo deixar de ficar uma pilha de nervos por saber que tenho a minha filha à espera. Mas eis que percorridos os tais 3kms se abriram alas, e consegui chegar até à minha criança a horas decentes.

É daqueles dias que a minha neura dá a volta ao Distrito

2 horas e 20 minutos para percorrer uma distância de 25kms - é de uma pessoa se pôr aos berros dentro do carro. Sim, é de uma pessoa se passar se não tiver mais que fazer, é crítico se tiver que ir buscar um filho ao colégio e não tiver a quem recorrer. Com estas e outras um dia destes tenho um AVC, só pode!

Tem tendência para dar nas vistas

Estava eu na Arezzo a escolher uns botins, ora indecisa entre uns mais práticos tom Camel, ora entre uns mais clássicos em preto, vira-se para uns com padrão leopardo e diz: "Mãe, leva aqueles de chita, são os mais bonitos de todos." OMG! Devia ficar a parecer o Shaka Zulu!