Avançar para o conteúdo principal

Já fui vítima de uma situação semelhante, não ter sido recrutada para uma dada função, porque se preferia um homem

https://jornaleconomico.sapo.pt/noticias/analia-torres-tanto-homens-como-mulheres-no-recrutamento-para-um-posto-de-trabalho-preferem-os-homens-313249?fbclid=IwAR1W4FQfEOcWw08F4_uW8UhkLstOyksZQqS-ELlU8DPLGkh9MMMnr27MXL4#.XFrEOLbcZMS.facebook

Está excelente esta entrevista à Profª Anália Torres; é engraçado que não consigo deixar de tratar os que foram meus professores desta forma. O caminho a percorrer ainda se adivinha longo e o mudar o chip é de facto necessário. Estamos em pleno Séc. XXI. Não equacionar a diversidade, para além de mesquinho, parece-me completamente desadequado, sobretudo em funções meramente intelectuais. Em funções em que impere a força física já tenho uma visão um pouco diferente, mas, caso a mulher seja de facto apta, não vejo por que lhe deva ser negada também  a possibilidade do exercício dessa função.

Para quem tem filhos pequenos, creio que o caminho começa aí. Educar para a diversidade, seja ela de que parâmetro for. Começo a ficar saturada de pensamentos redutores e mesquinhos. Em certos aspectos existem de facto mentalidades que não evoluem.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Portugal, aquele tal Estado laico que nos enfia pelos olhos e pela alma dentro os desígnios da suposta fé Católica

 Eu aprecio o Papa Francisco e respeito quem tem fé, quem acredita. Deus pode ser adorado de várias formas, mas o fausto e a sumptuosidade da Igreja Católica não são de todo o que vem nas Escrituras. E defendo que cada vez mais deveriam eclodir os valores da humildade e do amor ao próximo e sobretudo canalizar a riqueza para onde ela é mais necessária. Sejam verbas da Igreja, dos fiéis ou do Estado, e nesse Estado também entro eu, acho vergonhoso o aparato que tem uma jornada destas. A sua essência é um bluff.  Sejam jovens, adultos, ou idosos, a clara maioria dos envolvidos nesta epopeia não vale nada, não faz nada para que a sociedade em que vivemos seja melhor. Porque pouco faz no seu “quintal”, para com as pessoas com que se cruza, para com o vizinho do rés do chão, para com a/o namorada/o que dizia amar como jamais amou alguém e no dia seguinte, o melhor que tem para dar é…ghosting; para com os avós, os tios, os pais…ou um desconhecido que precisa desmesuradamente de ajuda. As cri