Avançar para o conteúdo principal

O cérebro dos psicopatas tem menos massa cinzenta - Ciências - PUBLICO.PT

O cérebro dos psicopatas tem menos massa cinzenta - Ciências - PUBLICO.PT

Este artigo é muito interessante e acho extraordinário conseguir chegar-se a estas conclusões através da análise cuidada ao cérebro; estas questões relacionadas com a massa cinzenta começaram a interessar-me quando há muitos anos atrás li "O Erro de Descartes" e percebi que isto é bem mais complexo do que se poderia pensar.

Contudo nem todos os psicopatas cometem ou cometeram crimes violentos/hediondos capazes de serem punidos pela sociedade e pelos normativos jurídico-legais.

E creio que aí se devem nivelar as psicopatias por categorias. O facto de um indivíduo cometer actos actrozes e reprováveis aos olhos da sociedade e da moral colectiva, de não mostrar arrependimento e ser reincidente em comportamentos de desvio, denota que estamos perante um psicopata.
Se é capaz de praticar um homicídio violento, uma violação entre outras práticas, talvez o seja, se forem reunidas as condições "necessárias" para tal.

Um indivíduo que magoe e goste de magoar os outros, sem se arrepender dos actos que comete, ser mentiroso compulsivo e praticar crimes "menores" é um psicopata e deve ser encarado e estudado como tal.

Agora o que leva um indivíduo a desenvolver esse comportamento é que para mim continua a ser um mistério.

Há sem dúvida uma clara alusão aos conceitos de prazer, morbidez, "taras", perversões, traumas, falta de auto-estima e confiança em si próprio e os comportamentos de "fuga" são tão só a forma de estes indivíduos se sentirem superiores, fortes e interessantes.

Mas continuo a achar que ainda não se chegou ao cerne da questão e ao porquê de se desenvolverem estes comportamentos das formas mais ou menos cruéis, que infundam agressão física e/ou psicológica destes indivíduos para com as suas vítimas.

Mas embora seja algo radical, de prática muito discutível, se o Exmo. Sr. Doutor Egas Moniz fosse vivo e desse um correctivo ao cérebro de algumas dessas criaturas...enfim, para bom entendedor, meia palavra basta!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

"Quem me Leva os Meus Fantasmas"

Tive oportunidade de ver há dias uma entrevista com o Pedro Abrunhosa (músico de que gosto bastante pela sua atitude e mensagens que passa) em que ele dizia que as suas músicas/letras são o reflexo das suas catarses, de situações que o perturbam, ou que lhe agradam e que ele tem que extrapolar para o exterior. Achei engraçada a analogia, pois com o sentido de humor que lhe é característico refere que é uma maneira de não perder tempo e dinheiro a ir ao Psiquiatra, entretém as pessoas e ainda lhe pagam para isso. O filósodo Lou Marinoff, brilhante também, como forma de evitarmos a cadeira do analista propõe-nos "Mais Platão, Menos Prozac". Concordo com ambos. E aqui deixo uma letra fabulosa de Pedro Abrunhosa, que transmite muitas das certezas e incertezas da minha existência, e foi também a seu tempo a banda sonora de eleição de uma anterior relação por mim vivida. Quem Me Leva os Meus Fantasmas "Aquele era o tempo Em que as mãos se fechavam E nas noites brilhantes

Apropriação

 Costuma ser um terreno simpático e bem cuidado, com relva bem aparada e quando o tempo o permite as crianças brincam até ao limite do dia. Fica em frente a minha casa.  Hoje testemunhei uma apropriação e que imagem mais maravilhosa. O pato Pateco descobriu uma nova casa, e enquanto ali houver água, desconfio que de lá não sairá. Vou investigar e dar-lhe um olá todos os dias. O pato Pateco merece. A beleza na simplicidade…