Avançar para o conteúdo principal

Quando voltamos aos lugares em que já fomos tão felizes

Não visitava Coruche há uns bons anos, mas é uma vila que me irá ficar na memória para todo o sempre. Aqui viveram durante muitos anos os pais do meu padrasto, e aqui fui tantas vezes na minha infância, aqui passei férias, aqui experimentei os meus primeiros momentos de liberdade, sem a mãe coruja com a sua extrema proteccção.

Íamos ao cinema ao ar livre - chamavam-lhe a "Esplanada", comprávamos chocolates e rebuçados, andávamos pela vila a tarde inteira na brincadeira, chegávamos à noite estoirados, mas felizes.

Banhos de mangueira, retirar água do poço, comer figos directamente da figueira, sem lavar e nunca apanhámos uma única dor de barriga. Natais, Páscoas, aniversários….e todos juntos.

Já partiram entretanto alguns, avós, tia, tios mais velhos...mas as memórias, de facto, nunca partem, ficam impregnadas em nós, fazem parte de nós.

Hoje o regresso trouxe-me aqueles lugares que frequentei à memória, as ruelas, as estórias e veio uma saudade boa, daquela em que sorrimos em vez de chorar ao lembrar o quão felizes fomos e não sabíamos.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

E ela a dar-lhe

"Mãe, aquilo é uma cobra cabelo"....e eu comecei a imaginar como seria cómico se existisse uma cobra cabeluda!

Quando me levam a miúda e só para me chatear partilham a prova do crime

 A vingança serve-se em bom. Aguardem-me, pestes!