Avançar para o conteúdo principal

Acerca da mulher que matou o marido em conluio com o amante

Não existem palavras para descrever um ser humano que consegue fazer uma coisa destas, seja ele homem ou mulher, mas a verdade é que por muito que a sociedade tenha evoluído, termos uma mulher a congeminar uma coisa destas, parece que ainda é mais chocante.

É óbvio que quando um homem pretende executar uma mulher, não precisa de ajuda, consegue fazê-lo sozinho e daí advêm as estatísticas disponíveis acerca de crimes em contexto de violência doméstica e o número de vitimas mortais femininas.

Uma mulher que queira executar o marido, dificilmente o faz sozinha, quanto mais não seja até pela sua compleição física.

Mas todo este enredo é chocante, hediondo. A tipa arquitecta isto, tem um amante, portanto é adultera, não tem tomates para se separar do marido e assumir que deixou de gostar dele, mas tem coragem para o assassinar - grande mulher, sim senhora. A verdadeira atriz que quando sair da choldra daqui a mais de 20 anos, espero, já tem lugar garantido na TVI Ficção.

Mas não deixou de ser das tais que não deixou transparecer grandes emoções, escondia a cara nas entrevistas (não é burra de todo) e imagino o regozijo ao longo das últimas a acreditar que tinha perpetrado o crime perfeito - e tantas falhas que ele teve desde o início.

Veremos o que decide o Juiz de Instrução, mas eu vejo aqui pelo menos Homicídio Qualificado com Dolo, ocultação e profanação de cadáver., premeditação. Mas com jeitinho ainda há mais uns crimes pelo meio.

Outra das coisas é que apesar de tudo, a tipa que escondia a cara nas entrevistas agora aparece de peito feito (e que por acaso até nem é pequeno) e o amante, que consegue assassinar uma pessoa a sangue frio esconde a cara. Onde foi a coragem deste monstro? Devia ser proibido - então cometem actos hediondos e depois querem passar de fininho. Era de lhe arrancar a camisola e pô-lo à vista de todos - não, este mercenário não tem lugar na novela da noite.

Que gente indigna, meu Deus.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Quando me levam a miúda e só para me chatear partilham a prova do crime

 A vingança serve-se em bom. Aguardem-me, pestes!

Saudações Académicas

Para quem é ou já foi estudante universitário, o mês de Maio é o mês das Academias por excelência. É para muitos que todos os anos se opera o virar de uma página e o recomeço da escrita de outra, que mais não são do que as páginas das nossas vidas, das nossas memórias e de tudo o que estará para vir. O mês de Maio de 2000 foi um dos meses, um dos ritos que não esqueço, rito esse que me é relembrado todos os anos. É indescritível o que nós sentimos quando estamos perante o fechar de uma etapa...foi nessa altura que senti o peso dos anos, o peso de alguma cultura, de relativa sabedoria no nicho que escolhi para mim e para o qual tenho vocação, o peso da responsabilidade. Saber que daí para a frente nada iria ser como dantes, saber que iria começar a estar por minha conta e risco, provar uma certa independência, fazer cada vez mais as minhas escolhas, ser responsável por elas e assumir os seus riscos e consequências. Sim, foi aos 22 anos que de facto me senti a entrar na vida adulta,