Avançar para o conteúdo principal

Algo não está bem...

Se é que o que está a ser veiculado por alguns orgãos de comunicação social, corresponde à verdade, no mínimo choca-me...no máximo nem há comentários próprios a emitir.

  • Um rapaz matou o pai porque ele e os irmãos eram alegadamente alvos/vítimas de violência doméstica e como manobra de defesa face ao pai que ia esmagar os irmãos com um tractor, o filho matou-o = medida de coacção = Prisão Preventiva

  • O indivíduo que gosta de brincar com alcool e sacos no elevador e ao mesmo tempo assassinar barbaramente 3 pessoas encarceradas a arder lá dentro, coitadinho queimou-se, entregou-se na esquadra, mas entretanto foi para o hospital, repito, coitadinho, para tratar dos ferimentos = ainda não foi presente a Juiz = estando no hospital goza de total liberdade

  • Três indivíduos que terão molestado cada um pelo menos 1 criança pelo nosso Portugal profundo e marcando-as para sempre = medida de coacção = não manterem contacto com as suas vítimas e apresentarem-se periodicamente às autoridades

O filho que matou o pai poderia continuar a exercer actividade criminosa - é discutível, mas entendo. Talvez consiga um Homicídio Simples...matou...tudo bem...prisão preventiva mesmo que o pao fosse um monstro.
O louco do elevador não matou 1, nem 2, mas sim 3 pessoas com requintes de grande malvadez e imputação de grande sofrimento às vitimas, está internado num hospital público e ainda goza de liberdade - qual é a dúvida de que este indivíduo é uma arma letal em potência!?...cuidado, vejam bem a fotografia dele, porque coitado de quem se cruzar com ele enquanto continuar á solta.
Os imundos dos pedófilos nesta perspectiva passam a não constituir perigo para as já vitimas, pois estão proibidos de se aproximar delas - subjectividade ao seu mais alto nível; qual é a garantia que as vítimas têm que os tarados não se voltam a aproximar, vão andar guardados pela Polícia? E das pseudo-futuras vítimas, ninguém se lembra!?

Mas a presunção de inocência é só para alguns e nalgumas circunstâncias, quando está mais do que claro que qualquer destes exemplos constitui perigo para a sociedade?

PS: reitero que o meu comentário se baseia nas informações veiculadas hoje pela comunicação social, que ao estarem correctas...deixam-me estupefacta.
E pior do que isso é achar que o actual sistema não está a funcionar, porque continuam a colocar atrás das grades pessoas com delitos menos graves...e os verdadeiros perigos da sociedade continuam à solta.


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Quando me levam a miúda e só para me chatear partilham a prova do crime

 A vingança serve-se em bom. Aguardem-me, pestes!

Saudações Académicas

Para quem é ou já foi estudante universitário, o mês de Maio é o mês das Academias por excelência. É para muitos que todos os anos se opera o virar de uma página e o recomeço da escrita de outra, que mais não são do que as páginas das nossas vidas, das nossas memórias e de tudo o que estará para vir. O mês de Maio de 2000 foi um dos meses, um dos ritos que não esqueço, rito esse que me é relembrado todos os anos. É indescritível o que nós sentimos quando estamos perante o fechar de uma etapa...foi nessa altura que senti o peso dos anos, o peso de alguma cultura, de relativa sabedoria no nicho que escolhi para mim e para o qual tenho vocação, o peso da responsabilidade. Saber que daí para a frente nada iria ser como dantes, saber que iria começar a estar por minha conta e risco, provar uma certa independência, fazer cada vez mais as minhas escolhas, ser responsável por elas e assumir os seus riscos e consequências. Sim, foi aos 22 anos que de facto me senti a entrar na vida adulta,