Avançar para o conteúdo principal

Bicharada, couves e el Rei D. José

Eu sinceramente não sei se o sucesso do tal evento está relacionado com a horta no meio da cidade ou com o Tony, mas ao que parece o povo lá vai aderindo com todo o vigor e alegria.

Confesso que gosto de eventos mais subtis e recatados, mas não fossem outros compromissos, tinha lá levado a Bébécas, ou não fosse ela uma fã acérrima da horta.

Tal como dizia Fernando Pessoa "primeiro estranha-se, depois entranha-se" e com ela passa-se exactamente o mesmo. Vê os animais e começa a olhar desconfiada, depois já faz destinhas e ri-se às gargalhadas, às tantas tenho que ter cuidado pois a bicharada já está a levar com um dedo no olho.

A última paixão dela é a coelinha anã da priminha S.
A coelha anda à solta lá pelo jardim, é de uma meiguice extrema e deixa-se apanhar; a Bébécas deve achar que se trata de um boneco e então é vê-la a interagir com a bicharoca. A bicharora às tantas dá-lhe "beijinhos" nas mãos, a Bébécas ri-se e encolhe-se toda com as cócegas.

Enfim, nada como o apelo da natureza e gostar/respeitar os animais.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Portugal, aquele tal Estado laico que nos enfia pelos olhos e pela alma dentro os desígnios da suposta fé Católica

 Eu aprecio o Papa Francisco e respeito quem tem fé, quem acredita. Deus pode ser adorado de várias formas, mas o fausto e a sumptuosidade da Igreja Católica não são de todo o que vem nas Escrituras. E defendo que cada vez mais deveriam eclodir os valores da humildade e do amor ao próximo e sobretudo canalizar a riqueza para onde ela é mais necessária. Sejam verbas da Igreja, dos fiéis ou do Estado, e nesse Estado também entro eu, acho vergonhoso o aparato que tem uma jornada destas. A sua essência é um bluff.  Sejam jovens, adultos, ou idosos, a clara maioria dos envolvidos nesta epopeia não vale nada, não faz nada para que a sociedade em que vivemos seja melhor. Porque pouco faz no seu “quintal”, para com as pessoas com que se cruza, para com o vizinho do rés do chão, para com a/o namorada/o que dizia amar como jamais amou alguém e no dia seguinte, o melhor que tem para dar é…ghosting; para com os avós, os tios, os pais…ou um desconhecido que precisa desmesuradamente de ajuda. As cri