Avançar para o conteúdo principal

Terra Prometida


Não é segredo, não o escondo e tenho todo o gosto em dizer que se há algo que me agrada é sair daqui, espairecer, conhecer outras paragens e outras gentes...mas gosto sempre do meu regresso ao país que me viu nascer, não nego.

Já pensei em passar uma temporada fora, exercer a minha profissão noutras paragens, com outras gentes, quer se concretiza-se um dia ou não, o meu porto seguro continua a ser o meu país, onde mantenho as pessoas de que mais gosto, os afectos e alguns dos meus antepassados...não todos.

Mas entre tantas paragens longínquas e nem tanto que anseio um dia conhecer, ando com uma vontade imensa de me deslocar à Terra Prometida. Definitivamente quero ir a Israel, quero conhecer Jerusalém, quero pisar aquela terra, sentir o cheiro, beber daquela água.

É um sonho não só meu, também foi o sonho por concretizar de uma das pessoas mais importantes da minha vida e que já não está entre nós, e talvez por isso, mas não só, o desejo cimentou-se e está a transformar-se num projecto a concretizar muito em breve.

As regras para se visitar Israel não são fáceis de contornar, mas creio que neste momento cumpro todos os requisitos; não estive num país árabe nos últimos tempos, não tenho "pecados" passíveis de me poderem excluir como uma visitante aceitável por parte da Mossad e tenho um grande respeito pelas gentes da "Judeia".

Não digo que não sinta receio, é um cenário conflituoso por vezes...mas o desejo de visitar tais paragens é crescente e vou esforçar-me para que seja mais uma entre tantas metas a atingir nos tempos mais próximos, não apenas por mim, como também pela restante família que se está a compôr.

"Oh Jerusalém"

Comentários

Anónimo disse…
Eu também quero ir a Israel, mas primeiro tenho de ir a outros sítios. Não sei se a informação que tenho está errada, mas há alguns países que não aceitam visitantes cujo passaporte tenha o carimbo de Israel.
Vou demorar uns anos a ir a Israel, pois também tenho curiosidade pelas arábias. :)
Brown Eyes disse…
É verdade, também fiquei a saber há bem pouco tempo, mas de facto se uma pessoa quer ir a Israel não pode ter estado nos últimos tempos em certos países árabes e vice-versa. Há que fazer uma selacção criteriosa dos locais que realmente se quer visitar, para não entrar em conflito com Israel...mas que vou, vou :)

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

"Quem me Leva os Meus Fantasmas"

Tive oportunidade de ver há dias uma entrevista com o Pedro Abrunhosa (músico de que gosto bastante pela sua atitude e mensagens que passa) em que ele dizia que as suas músicas/letras são o reflexo das suas catarses, de situações que o perturbam, ou que lhe agradam e que ele tem que extrapolar para o exterior. Achei engraçada a analogia, pois com o sentido de humor que lhe é característico refere que é uma maneira de não perder tempo e dinheiro a ir ao Psiquiatra, entretém as pessoas e ainda lhe pagam para isso. O filósodo Lou Marinoff, brilhante também, como forma de evitarmos a cadeira do analista propõe-nos "Mais Platão, Menos Prozac". Concordo com ambos. E aqui deixo uma letra fabulosa de Pedro Abrunhosa, que transmite muitas das certezas e incertezas da minha existência, e foi também a seu tempo a banda sonora de eleição de uma anterior relação por mim vivida. Quem Me Leva os Meus Fantasmas "Aquele era o tempo Em que as mãos se fechavam E nas noites brilhantes

Apropriação

 Costuma ser um terreno simpático e bem cuidado, com relva bem aparada e quando o tempo o permite as crianças brincam até ao limite do dia. Fica em frente a minha casa.  Hoje testemunhei uma apropriação e que imagem mais maravilhosa. O pato Pateco descobriu uma nova casa, e enquanto ali houver água, desconfio que de lá não sairá. Vou investigar e dar-lhe um olá todos os dias. O pato Pateco merece. A beleza na simplicidade…