Avançar para o conteúdo principal

Televisão com menos de 4 anos…caput


Cada vez mais os equipamentos não valem nada. Comprei a minha televisão da marca Samsung 4K Smart TV há menos de 4 anos. Não custou milhares de euros, mas também não foi barata cá para o meu bolso.
Pensava ter uma televisão para uns bons anos. 

Pois que começou a ficar avariada das ideias e a desligar-se sem ordem quando lhe apetece. Ainda me indispus com a assistência técnica que vem formatada para só actuar se virem a avaria, mesmo depois de eu ter dito que é intermitente, mas que isso já quer dizer alguma coisa. Se reparam televisões devem saber melhor o que pode ser, do que eu, uma mera espectadora. 

Bom, lá se predispuseram a testar coisas e deram conta que um Led foi à vida, mas foram logo dizendo que não é uma condição sine qua non para ela se desligar, mas que sendo assim iam levá-la para fazer mais testes e reparar o que tiver que ser reparado.

A minha sorte é: dado o valor que paguei, na altura optei por, por mais umas dezenas de euros, contratar uma extensão de garantia, pelo que, transtornos financeiros por ora não terei. Aleluia para a minha presença de espírito e ao facto de não ser forreta! Agora tenho falta de televisão em casa, a miúda não joga na consola mas a reparação vai sair-me à borlix.



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Quando me levam a miúda e só para me chatear partilham a prova do crime

 A vingança serve-se em bom. Aguardem-me, pestes!

Saudações Académicas

Para quem é ou já foi estudante universitário, o mês de Maio é o mês das Academias por excelência. É para muitos que todos os anos se opera o virar de uma página e o recomeço da escrita de outra, que mais não são do que as páginas das nossas vidas, das nossas memórias e de tudo o que estará para vir. O mês de Maio de 2000 foi um dos meses, um dos ritos que não esqueço, rito esse que me é relembrado todos os anos. É indescritível o que nós sentimos quando estamos perante o fechar de uma etapa...foi nessa altura que senti o peso dos anos, o peso de alguma cultura, de relativa sabedoria no nicho que escolhi para mim e para o qual tenho vocação, o peso da responsabilidade. Saber que daí para a frente nada iria ser como dantes, saber que iria começar a estar por minha conta e risco, provar uma certa independência, fazer cada vez mais as minhas escolhas, ser responsável por elas e assumir os seus riscos e consequências. Sim, foi aos 22 anos que de facto me senti a entrar na vida adulta,