Avançar para o conteúdo principal

Quando nos fazem duvidar dos nossos valores

Neste caso, a honestidade.

Vejamos, hoje à hora de almoço, antes de me dirigir a um dos sítios do costume, ao verificar que não tinha dinheiro suficiente, dirijo-me ao Multibanco mais próximo que fica ni interior de uma superfície comercial.

Levantar dinheiro é quase tão instintivo como lavar os dentes por exemplo, pelo que tento inserir o cartão na ranhura, sinto uma ligeira pressão e só aí olho para o visor. E mostrava o visor a seguinte mensagem:

"Por favor, retire o seu dinheiro"

Nisto, olho para a ranhura de onde saem as notas e estavam lá de facto 2 notas de 10€. Olho em volta, não vejo ninguém, retiro as notas, volto a olhar em volta...o mesmo cenário.

E o que faço eu!? Fui à procura do Segurança para lhe entregar o dinheiro, para que o mesmo actuasse em conformidade.

Lá encontrei o homem, com um ar meio alucinado, digo-lhe que aquele dinheiro estava na Caixa Multibanco "X" e que alguém se esqueceu de o retirar.

Continuou a olhar para mim como se eu fosse um ET - ok, não creio ser assim tão assustadora. 

E nisto comenta:

"Só me está a dar trabalho, agora vou ter que fazer um relatório!"

What!? Qual era a solução, eu ficar com dinheiro que não é meu!? Honestamente os 20€ até teriam destino, mas é assim tão estranho uma pessoa ser honesta? Dá assim tanto trabalho fazer o correcto? No meu caso foi perder algum tempo à procura dele e no caso dele escrever uma porcaria de 3 linhas a relatar que às tantas horas foram encontradas duas notas de 10€ na Caixa Multibanco "X" e que se alguém se fosse queixar e dissesse exactamente isso, era sinal que o dinheriro seria dessa pessoa!?

É por estas e outras que cada vez mais tenho menos fé no Ser Humano (redundante mas é  o que é) e por outro lado, apesar de tudo, não me arrependo de fazer por ser uma pessoa melhor a cada dia que passa. Não sou valorizada, acho mesmo que sou menosprezada e espezinhada, porque quanto mais faço o Bem, mais levo para trás, mas a verdade é que fico de bem com a minha consciência.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Portugal, aquele tal Estado laico que nos enfia pelos olhos e pela alma dentro os desígnios da suposta fé Católica

 Eu aprecio o Papa Francisco e respeito quem tem fé, quem acredita. Deus pode ser adorado de várias formas, mas o fausto e a sumptuosidade da Igreja Católica não são de todo o que vem nas Escrituras. E defendo que cada vez mais deveriam eclodir os valores da humildade e do amor ao próximo e sobretudo canalizar a riqueza para onde ela é mais necessária. Sejam verbas da Igreja, dos fiéis ou do Estado, e nesse Estado também entro eu, acho vergonhoso o aparato que tem uma jornada destas. A sua essência é um bluff.  Sejam jovens, adultos, ou idosos, a clara maioria dos envolvidos nesta epopeia não vale nada, não faz nada para que a sociedade em que vivemos seja melhor. Porque pouco faz no seu “quintal”, para com as pessoas com que se cruza, para com o vizinho do rés do chão, para com a/o namorada/o que dizia amar como jamais amou alguém e no dia seguinte, o melhor que tem para dar é…ghosting; para com os avós, os tios, os pais…ou um desconhecido que precisa desmesuradamente de ajuda. As cri