Avançar para o conteúdo principal

É que a noite nem chegou a ser mal dormida

Isto porque estava eu a ver a maratona do Master Chef USA e a pensar que já eram mais que horas de recolher aos meus aposentos, quando uns gritos dilacerantes me entram pelos ouvidos dentro.

Antevi que para estar a chorar daquela maneira, íamos ter uma bela madrugada. Dei-lhe os primeiros segundos de reflexão, a intensidade do choro aumentava, e enquanto me dirigia ao quarto chamava por mim: mamãzinha, mãezinha, tudo acabava em "inha".

O meu coração ficou apertado quando a vejo sentada na caminha dela, as lágrimas saltavam cara abaixo e quando me viu levantou-se num pulo e só lhe faltou dizer "tira-me daqui".

Agarrou-se a mim tipo um Koala e só dizia "qué mamã, blá blá blá"; bastava eu fazer o mínimo jeito de que a ia colocar noutro sítio, voltava a abrir a boca com um som tão intenso, que mais parecia que estávamos a ser assaltadas; foi terrível.

Lá peguei nas coisas dela, tentei acalmá-la, dei-lhe um bocadinho de leite, a cria continuava agarrada a mim como se não houvesse amanhã, ainda pensei que estivesse com alguma premonição de desgraça, mas pelo menos a esta hora ainda estou vivinha da costa, mas o que é facto é que não dormi.

Foi para a minha cama, mais se agarrava, e dava-me beijinhos, e enfiava a cabeça no meio do meu peito, deu-me cada cabeçada que eu vi estrelas e estou para aqui toda dorida, se eu fazia o mínimo movimento para me pôr mais confortável, lá abria ela outra vez a goela.

Enfim, consegui que ela dormisse, mas eu não, óbvio. Eram 7 da manhã ainda pensei sair pé ante pé e ir passar pelas brasas meia horita para a sala, mas qual quê, mas eu me mexi, ela abriu um olho, levantou a sobrancelha e nem sequer foi preciso voltar a chorar, porque a minha cabeça latejava de tal maneira, que por muito que eu precisasse, o melhor foi mesmo fazer-lhe a vontade e continuar com ela em cima de mim.

Sem dúvida que quando ela tinha 1 mês, era muito mais simpático do que agora, pois o peso dela não ajuda, mas o colo da mãe serve para isto mesmo. Será que esta noite ela me deixa dormir um bocadinho....será!?

Comentários

Mensagens populares deste blogue

"Quem me Leva os Meus Fantasmas"

Tive oportunidade de ver há dias uma entrevista com o Pedro Abrunhosa (músico de que gosto bastante pela sua atitude e mensagens que passa) em que ele dizia que as suas músicas/letras são o reflexo das suas catarses, de situações que o perturbam, ou que lhe agradam e que ele tem que extrapolar para o exterior. Achei engraçada a analogia, pois com o sentido de humor que lhe é característico refere que é uma maneira de não perder tempo e dinheiro a ir ao Psiquiatra, entretém as pessoas e ainda lhe pagam para isso. O filósodo Lou Marinoff, brilhante também, como forma de evitarmos a cadeira do analista propõe-nos "Mais Platão, Menos Prozac". Concordo com ambos. E aqui deixo uma letra fabulosa de Pedro Abrunhosa, que transmite muitas das certezas e incertezas da minha existência, e foi também a seu tempo a banda sonora de eleição de uma anterior relação por mim vivida. Quem Me Leva os Meus Fantasmas "Aquele era o tempo Em que as mãos se fechavam E nas noites brilhantes

Esta miúda que por sinal é minha filha...

 Estava eu a aspirar a casa e ela decidiu observar-me(nos). “Mãe, esse aspirador é do Rei dos Aspiradores. Não sabia que o aspirador de cá de casa era desses. Não devias dar dinheiro a esse homem mãe.” Nem comentei, nem tão pouco estou com presença de espírito para tentar perceber que cenas escabrosas a respeito do tal senhor que era o “manda-chuva” da Rainbow chegaram aos ouvidos da minha filha. Está a ser muita mudança para a minha cabeça. A miúda está mesmo a crescer...a galope e eu, começo a ficar para trás. Maldita idade...a minha! A dela, recomenda-se, mas de preferência com menos audácia e argúcia.