Avançar para o conteúdo principal

Ontem acabaram as festividades, qual casamento cigano

Foi dia de festa para as amigas da criança, num espaço muito engraçado. Saíram de lá todas transpiradas mas felizes e a Milady Rita nem sabia para onde se virar com tanta prenda, com tanto carinho e afecto.

Valeu a pena e ela merece. Agora vamos voltar à realidade, assentar os pés na terra, porque a vida não é uma festa…

Bom, hoje chegou a casa, depois de ter passado o Domingo com o pai, e ainda cá tinha mais uma surpresa, que acredito tenha sido a que de facto, no meio de tanta coisa ela mais gostou. Não que eu aprove, mas quando temos amigos excêntricos que gostam de mimar estas duas miúdas de cá de casa, o que se há-de fazer!?


Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Portugal, aquele tal Estado laico que nos enfia pelos olhos e pela alma dentro os desígnios da suposta fé Católica

 Eu aprecio o Papa Francisco e respeito quem tem fé, quem acredita. Deus pode ser adorado de várias formas, mas o fausto e a sumptuosidade da Igreja Católica não são de todo o que vem nas Escrituras. E defendo que cada vez mais deveriam eclodir os valores da humildade e do amor ao próximo e sobretudo canalizar a riqueza para onde ela é mais necessária. Sejam verbas da Igreja, dos fiéis ou do Estado, e nesse Estado também entro eu, acho vergonhoso o aparato que tem uma jornada destas. A sua essência é um bluff.  Sejam jovens, adultos, ou idosos, a clara maioria dos envolvidos nesta epopeia não vale nada, não faz nada para que a sociedade em que vivemos seja melhor. Porque pouco faz no seu “quintal”, para com as pessoas com que se cruza, para com o vizinho do rés do chão, para com a/o namorada/o que dizia amar como jamais amou alguém e no dia seguinte, o melhor que tem para dar é…ghosting; para com os avós, os tios, os pais…ou um desconhecido que precisa desmesuradamente de ajuda. As cri