Avançar para o conteúdo principal

Presentinhos para ela

No início da semana, sem sequer me ter mentalizado psicologicamente para tal, acabei por juntar o útil ao agradável, e já que estava em frente à loja dos brinquedos e sabia exactamente o que lhe ia comprar, entrei e fiz o meu pedido.

Mas, sem dúvida nenhuma que uma coisa é ver o objecto montado na loja, sendo grande, não parece assim tão imenso, outra coisa é ver-mo-lo embrulhado, ser da minha altura, por acaso não é pesado, mas o meu carro não é propriamente uma van; logo num dia em que tinha as compras do supermercado, a minha mãe, a Bébécas, sacos e sacos, carrinho dela na bagageira, enfim.

Foi literalmente a tarefa árdua de meter o Rossio na Rua da Betesga! Mas coube e a criança já tem as prendinhas da mamã devidamente "arregladas".

O mais engraçado é que a criança estava presente, mas não se apercebeu de nada, que é o que convém, mas pediu-me para lhe comprar umas tesouras...ultimamente nas actividades lúdicas temos andado a cortar, colar, pintar, e ela lá se encantou com um set de tesouras que cortam de todas as maneiras e feitios e eu lá lhe comprei as ditas.

Apanhei-a distraída e pedi para embrulhar, assim tem mais um embrulho, para juntar ao rol que já lá tem; é um facto, a minha filha tem mesmo uma infinidade de brinquedos, nunca tive tantos brinquedos em toda a minha vida, como ela tem até este momento, eles depois começam a desvalorizar, e vamos ter que começar a fazer cortes também nesta área, mandamento da Mãe!...mas gosto tanto de lhe poder proporcionar tudo o que ela merece; amor em dose dupla, carinho, preocupação, tempo de qualidade...e brinquedos, porque ela só será criança uma vez.


Mas a pequena tem uma memória tão refinada, que todos os dias me pergunta pelas tesouras...e eu faço-me de desentendida e digo-lhe que talvez tenhamos que as procurar. O pior vai ser estar quase um mês à procura das ditas; não sei se vamos resistir até lá.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Quando me levam a miúda e só para me chatear partilham a prova do crime

 A vingança serve-se em bom. Aguardem-me, pestes!

Saudações Académicas

Para quem é ou já foi estudante universitário, o mês de Maio é o mês das Academias por excelência. É para muitos que todos os anos se opera o virar de uma página e o recomeço da escrita de outra, que mais não são do que as páginas das nossas vidas, das nossas memórias e de tudo o que estará para vir. O mês de Maio de 2000 foi um dos meses, um dos ritos que não esqueço, rito esse que me é relembrado todos os anos. É indescritível o que nós sentimos quando estamos perante o fechar de uma etapa...foi nessa altura que senti o peso dos anos, o peso de alguma cultura, de relativa sabedoria no nicho que escolhi para mim e para o qual tenho vocação, o peso da responsabilidade. Saber que daí para a frente nada iria ser como dantes, saber que iria começar a estar por minha conta e risco, provar uma certa independência, fazer cada vez mais as minhas escolhas, ser responsável por elas e assumir os seus riscos e consequências. Sim, foi aos 22 anos que de facto me senti a entrar na vida adulta,