Avançar para o conteúdo principal

Museu Colecção Berardo e o (S.) Valentim

Como apreciadora da arte e suas manifestações, não podia ter deixado de visitar a Colecção Berardo no CCB.

Para quem ainda não teve oportunidade, aconselho vivamente; é uma boa colecção em cuja exposição estão patentes obras de arte tendencialmente americanas e europeias, passando por vários estilos e conceitos, tais como, o Surrealismo, a Pop Art, a Arte Minimalista, a Abstracção, entre outros.
A forma como a exposição foi concebida, proporciona-nos um caminhar pelo percurso histórico das manifestações artísticas lá patentes de uma forma cronológica, o que nos ajuda a entender melhor as várias correntes.

Foi com grande satisfação e emoção que admirei algumas obras de Picasso, Dali, Andy Warhol, Paula Rego, entre tantos outros, mas aconselho mesmo uma visita. Vale a pena.

Mas eis que o Museu preparou uma surpresa para os apaixonados; achei a ideia muito interessante e resolvi partilhar. "As mais belas histórias de Amor" - os mentores do museu pegaram no tema do Amor e resolveram criar uma exposição dentro da exposição (um conceito confuso) dedicada a este tema e à forma como os génios da arte o exploraram.

Não me posso esquecer da profunda paixão que Salvador Dali nutria por Gala e da forma como a transpunha para as suas obras; Picasso por Olga...e tantas outras paixões vividas no mundo da arte.

Pois bem, para quem anda em clima de romance e gosta de arte...tem um pleno, aproveitem e visitem o Museu até ao dia 15 de Fevereiro e deixem-se levar pelas emoções.
Se não andam em clima de romance...visitem na mesma, nunca se sabe quem se pode lá encontrar.

À noite, nada como um fantástico e romântico jantar. Mas por favor, a era dos peluches com o coraçãozinho no meio e com a frase I LoveYou já foi moda no século XX. Haja imaginação.

Comentários

Unknown disse…
Bom, polémicas à parte, com os interesses monetários do Srº Berardo e a sua "chantagem" ao governo, o museu e a sua colecção, são de facto espectaculares e merecem toda a atenção e tempo que possamos dispensar a visita-lo, é uma oportunidade única de se ver num só sítio tanta arte contemporanea e com tão grande qualidade.
Reconheço que já fazia falta em Portugal um museu com estas características, tal como os outros países têm, dando por exemplo o "Reina Sofia" em Madrid ou o "Tate" em Londres. Em relação à exposição dentro da exposição, é uma ideia engraçada aproveitar o tema do São Valentim e dia dos namorados para fazer essa mostra.
Beijo
Pipas
Anónimo disse…
Infelizmente, por razões alheias à minha vontade, ainda não fui visitar a Colecção Berardo exposta no CCB.
Já me disseram que é muito interessante, pois está cheia de peças únicas.
E agora que falas dessa exposição dentro da exposição, deixaste-me curioso...

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Portugal, aquele tal Estado laico que nos enfia pelos olhos e pela alma dentro os desígnios da suposta fé Católica

 Eu aprecio o Papa Francisco e respeito quem tem fé, quem acredita. Deus pode ser adorado de várias formas, mas o fausto e a sumptuosidade da Igreja Católica não são de todo o que vem nas Escrituras. E defendo que cada vez mais deveriam eclodir os valores da humildade e do amor ao próximo e sobretudo canalizar a riqueza para onde ela é mais necessária. Sejam verbas da Igreja, dos fiéis ou do Estado, e nesse Estado também entro eu, acho vergonhoso o aparato que tem uma jornada destas. A sua essência é um bluff.  Sejam jovens, adultos, ou idosos, a clara maioria dos envolvidos nesta epopeia não vale nada, não faz nada para que a sociedade em que vivemos seja melhor. Porque pouco faz no seu “quintal”, para com as pessoas com que se cruza, para com o vizinho do rés do chão, para com a/o namorada/o que dizia amar como jamais amou alguém e no dia seguinte, o melhor que tem para dar é…ghosting; para com os avós, os tios, os pais…ou um desconhecido que precisa desmesuradamente de ajuda. As cri

Folder "Para quê inventar" #6

 Também existe quem publicite "Depilação a Lazer"!  Confesso que quando olhei há uns dias para uma montra de um instituto, salão ou lá o que é de "beleza" fiquei parada por alguns momentos, não sabendo bem se deveria benzer-me, fazer serviço público e ir avisar as pessoas que aquilo estava mal escrito ou pura e simplesmente, seguir o meu caminho. Foi o que fiz, segui o meu caminho, porque na realidade não me foi perguntado nada, portanto não vale a pena entrar em contendas com desconhecidos à conta de ortografia. Mas...."depilação a lazer" é mesmo qualquer coisa! Para mim, não é mesmo lazer nenhum e posso confirmar que provoca até uma sensação algo desconfortável no momento, que compensa depois, mas daí a ser considerado lazer, vai uma distância extraordinária.