Avançar para o conteúdo principal

A Capital (e não só) Debaixo de Água

Hoje é um daqueles dias em que mais valia muitos de nós não nos termos levantado da cama, pelo menos de manhã.

Já se auspiciava um dia complicado, mas sinceramente nunca pensei que fosse assim tanto. Desde meados da semana passada que as previsões para o passado Domingo e dias seguintes, apontavam para dias chuvosos, ventosos e de intempérie...mas ninguém estaria preparado para um quase dilúvio. Venha de novo Noé e a sua arca.

Pela minha parte foi uma manhã bastante irrirante e enervante. Vi-me fechada no carro durante 3 horas e meia para percorrer os escassos 15 quilómetros, que costumo percorrer em 20 minutos. Se soubesse o que sei agora, tinha ficado a dormir mais um bom bocado.

É de lamentar também (e fala-se todos os anos no mesmo) que as nossas autarquias continuem a fazer o mesmo de sempre, ou seja, muito pouco.
Se bem me lembro dos tempos em que estudei uma cadeira que se intitulava Administração Autárquica e Desenvolvimento Local, uma Autarquia Local é «uma pessoa colectiva territorial, dotada de orgãos representativos, com vista à prossecução própria dos interesses das populações respectivas (...)» in Lei das Autarquias Locais

Ora, se bem que os índices de precipitação desta noite e manhã tenham sido elevados, se os rios e ribeiras estivessem devidamente limpos, as sarjetas e os colectores desentupidos, talvez não estivéssemos perante a catástrofe que é neste momento uma realidade.

Pessoas desalojadas em plena capital, mortos, desaparecidos e famílias bastante penalizadas pelo simples facto de viverem numa zona baixa, de terem a sua viatura estacionada num parque de estacionamento subterrâneo ou ao lado de um muro...entre muitas outras tristes coincidências.

Espero sinceramente que nos próximos dias o ditado venha a propósito, pois continuo a querer acreditar que Depois da Tempestade vem a Bonança.

Comentários

Unknown disse…
Pois é minha amiga, foi uma infelicidade o dia de ontem e mais uma vez se viu a ineficácia e incompetência das nossas instituições.
Dá uma espreitadela no meu blog, também fiz um post sobre este assunto.
Fica bem
Pipas
P.S. Eu voltei para a cama ontem de manhã eheheh

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Quando me levam a miúda e só para me chatear partilham a prova do crime

 A vingança serve-se em bom. Aguardem-me, pestes!

Saudações Académicas

Para quem é ou já foi estudante universitário, o mês de Maio é o mês das Academias por excelência. É para muitos que todos os anos se opera o virar de uma página e o recomeço da escrita de outra, que mais não são do que as páginas das nossas vidas, das nossas memórias e de tudo o que estará para vir. O mês de Maio de 2000 foi um dos meses, um dos ritos que não esqueço, rito esse que me é relembrado todos os anos. É indescritível o que nós sentimos quando estamos perante o fechar de uma etapa...foi nessa altura que senti o peso dos anos, o peso de alguma cultura, de relativa sabedoria no nicho que escolhi para mim e para o qual tenho vocação, o peso da responsabilidade. Saber que daí para a frente nada iria ser como dantes, saber que iria começar a estar por minha conta e risco, provar uma certa independência, fazer cada vez mais as minhas escolhas, ser responsável por elas e assumir os seus riscos e consequências. Sim, foi aos 22 anos que de facto me senti a entrar na vida adulta,