Avançar para o conteúdo principal

Austrália

Conhecer a Austrália é sem dúvida um sonho que povoa o meu subconsciente, mas sei que é certamente daqueles sonhos que não vão passar disso mesmo...algo difícil de atingir, por muitos e vários condicionalismos da vida.

Há que definir prioridades, circunstâncias, e o facto deste magnífico país ficar do outro lado do mundo, digamos que não ajuda.

Mas, neste momento e finalmente, folgo em dizer que estou satisfeita com aquilo que tenho, que a minha vida tomou um rumo, que me faço rodear por quem realmente é importante, que continuo a ter algumas questões por resolver mas a tendência é de constante melhora.

Tenho no fundo perseguido e lutado por atingir alguma plenitude e junto de quem amo sei que vou (vamos) chegar lá.

Este nosso fim de semana foi calmo, relaxante, tive o meu P. à minha disposição durante 48 horas seguidas, o que ultimamente tem sido raro, fizemos mais um upgrade para a nossa casinha, mimámo-nos, dormimos imenso, enfim, valeu a pena e pena é que já esteja prestes a acabar.

Como o tempo de qualidade a dois é escasso, pois o trabalho impede-nos de ter tempo para o lazer, as nossas idas ao cinema tornaram-se cada vez mais raras, vale-nos o clube de vídeo para actualizarmos as nossas cinéfilices.

Hoje prendemo-nos a Austrália...adorei. Vibrei com aquelas paisagens e imaginar-me nelas também, vibrei com a cultura aborígene, os cangurus aos pulos, a história e alguns personagens.

E porque foi mais um momento nosso, aqui estávamos os dois, juntinhos, os nossos morangos com chantilly, taças de champanhe...sim, nós merecemos.

Foi uma tarde linda. E que daqui a 50 anos, os nossos filhos possam comemorar à sua maneira o primeiro centenário do Cristo Rei, lá perto ou não, mas acima de tudo em Paz e harmonia, aqui ou nos antípodas australianos, mas sobretudo num lugar em que sejam felizes e realizados.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Portugal, aquele tal Estado laico que nos enfia pelos olhos e pela alma dentro os desígnios da suposta fé Católica

 Eu aprecio o Papa Francisco e respeito quem tem fé, quem acredita. Deus pode ser adorado de várias formas, mas o fausto e a sumptuosidade da Igreja Católica não são de todo o que vem nas Escrituras. E defendo que cada vez mais deveriam eclodir os valores da humildade e do amor ao próximo e sobretudo canalizar a riqueza para onde ela é mais necessária. Sejam verbas da Igreja, dos fiéis ou do Estado, e nesse Estado também entro eu, acho vergonhoso o aparato que tem uma jornada destas. A sua essência é um bluff.  Sejam jovens, adultos, ou idosos, a clara maioria dos envolvidos nesta epopeia não vale nada, não faz nada para que a sociedade em que vivemos seja melhor. Porque pouco faz no seu “quintal”, para com as pessoas com que se cruza, para com o vizinho do rés do chão, para com a/o namorada/o que dizia amar como jamais amou alguém e no dia seguinte, o melhor que tem para dar é…ghosting; para com os avós, os tios, os pais…ou um desconhecido que precisa desmesuradamente de ajuda. As cri

Folder "Para quê inventar" #6

 Também existe quem publicite "Depilação a Lazer"!  Confesso que quando olhei há uns dias para uma montra de um instituto, salão ou lá o que é de "beleza" fiquei parada por alguns momentos, não sabendo bem se deveria benzer-me, fazer serviço público e ir avisar as pessoas que aquilo estava mal escrito ou pura e simplesmente, seguir o meu caminho. Foi o que fiz, segui o meu caminho, porque na realidade não me foi perguntado nada, portanto não vale a pena entrar em contendas com desconhecidos à conta de ortografia. Mas...."depilação a lazer" é mesmo qualquer coisa! Para mim, não é mesmo lazer nenhum e posso confirmar que provoca até uma sensação algo desconfortável no momento, que compensa depois, mas daí a ser considerado lazer, vai uma distância extraordinária.