Avançar para o conteúdo principal

Ganhos e Perdas

Já estamos em pleno mês de Julho, lá saí eu de casa de vestidinho e de sandalinha...e...estava a chover.
Passa-se algo de muito estranho com o nosso planeta, disso não tenho dúvidas, nem tão pouco preciso das acções de sensibilização de Mr. Al Gore. Seja pelo tema do aquecimento global, seja porque a Humanidade não tem sido muito amiga de si própria, o planeta está doente.
Mas não é acerca da Biosfera que me apetece escrever hoje. Apetece-me sobretudo um desabafo.
Hoje foi um dia triste para mim, mais um. Comecei a manhã com uma má notícia, daquelas que nos deixam literalmente de "boca aberta" algo que eu não estava de todo à espera que acontecesse.
Perdi uma pessoa que fazia parte do meu quotidiano, mas sei que a amiga está e estará sempre lá. E dou por mim a pensar nas injustiças do dia-a-dia, na forma como os seres humanos se dão uns com os outros, nas verdadeiras barbaridades que fazem uns aos outros...e pergunto-me...qual será o fim?
Há quem se dedique, há quem encaixe na perfeição o seu papel, há quem cumpra os objectivos que foram para si traçados e no fim a contrapartida é quase nula ou inexistente. Onde é que isto vai parar?
Será que de facto Deus fecha uma porta e abre uma janela?? Será que estou a sentir alguma brisa?
Ou será que, tal como em seu dia disse W. Shakespeare "a vida é um palco onde homens e mulheres são meros actores"? Atrevo-me a acrescentar que neste palco há sempre quem fuja ao guião e assuma a tal tendência humana para a asneira.
Aqueles que seguem uma linha minimamente escorreita, merecem a minha admiração. Coerência acima de tudo.
Um abraço e um beijo especial para quem iniciou hoje uma nova etapa; para ela, continuas sempre no meu coração, para ele, apesar das divergências e mal entendidos tenho a noção de que tens qualidades muito positivas e a etapa seguinte será bem melhor.
Trust me

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Já começo a sentir o cheiro a férias...

Embora esteja a braços com uma bela gripe de Verão; antes agora, do que daqui a uns dias.

Quando me levam a miúda e só para me chatear partilham a prova do crime

 A vingança serve-se em bom. Aguardem-me, pestes!

Saudações Académicas

Para quem é ou já foi estudante universitário, o mês de Maio é o mês das Academias por excelência. É para muitos que todos os anos se opera o virar de uma página e o recomeço da escrita de outra, que mais não são do que as páginas das nossas vidas, das nossas memórias e de tudo o que estará para vir. O mês de Maio de 2000 foi um dos meses, um dos ritos que não esqueço, rito esse que me é relembrado todos os anos. É indescritível o que nós sentimos quando estamos perante o fechar de uma etapa...foi nessa altura que senti o peso dos anos, o peso de alguma cultura, de relativa sabedoria no nicho que escolhi para mim e para o qual tenho vocação, o peso da responsabilidade. Saber que daí para a frente nada iria ser como dantes, saber que iria começar a estar por minha conta e risco, provar uma certa independência, fazer cada vez mais as minhas escolhas, ser responsável por elas e assumir os seus riscos e consequências. Sim, foi aos 22 anos que de facto me senti a entrar na vida adulta,